Fio da Meada

Quatro designers brasileiras emprestam seu olhar a um mesmo suporte: os têxteis artesanais e vivem uma experiência enriquecedora com artesãos mineiros. O resultado você vai poder conferir na exposição “Fio da Meada”, no museu CASA.

Marina Dias, 53 anos, advogada, começou há quatro anos a transição para o design de mobiliário. Mari Dabbur, 34 anos, arquiteta e designer de mobiliário, transita entre os universos do design e da arquitetura munida de duas ferramentas: sua experiência como arquiteta e suas habilidades de artesã. Maria Helena Emediato, 30 anos, arquiteta e urbanista com especialização nas áreas de mobiliário e marcenaria, já trabalhou nos escritórios de arquitetura de interiores de Kiko Salomão e de Moema Wertheimer. E Maria Fernanda Paes de Barros, 46 anos, designer de interiores, agora direciona seu trabalho para o design de mobiliário.

Luminária Ipê, de Fernanda Paes de Barros

Luminária Ipê, de Fernanda Paes de Barros

Juntas, elas estiveram no ano passado na cidade de Muzambinho, Minas Gerais e conviveram com artesãos locais. “Incentivando as pessoas a interagirem, pretendemos quebrar o estereótipo existente em relação ao artesanal, levando um novo olhar para estas comunidades e para o produto de seu trabalho”, explica Maria Fernanda.

E o curioso é que as peças produzidas por ela e pelas outras três designers são completamente diferentes e este resultado a gente vai ver na mostra. A disposição das obras no espaço expositivo contará a história da experiência vivida por elas. Por meio de um painel de fotos, o visitante consegue acompanhar o processo de inspiração e criação das peças. “Pretendemos estimular o público por meio de imagens, texturas e interação, pois acreditamos que quando nos emocionamos registramos o momento e de alguma forma ele se torna inesquecível”, revela Maria Helena.

Na tentativa de materializar e compartilhar um pouco do processo de imersão em Muzambinho, as designers decidiram dar ao visitante a oportunidade de participar da elaboração de uma das obras. Cúpulas pendentes e retalhos de tecidos se encontram e ganham forma por meio das mãos do público, que terá a oportunidade de entrelaçar as tiras à sua maneira, compondo assim luminárias de autoria coletiva. “O design não se trata apenas de criar coisas novas. Ele é capaz de transformar, valorizar e preservar, mas para isso é preciso ver, sentir, estar e se emocionar”, conclui Mari Dabbur.

A mostra reunirá ainda mesas, luminárias, balanços, uma poltrona e uma composição de banco e prateleiras. Embora utilizem madeira, ferro, corda, palha e cobre, o fio de algodão é o principal material.

Serviço:

Exposição “Fio da Meada”

Local: A CASA – Anexo – Avenida Pedroso de Morais, 1234 – São Paulo

Data: de 12 de novembro de 2015 a 5 de fevereiro de 2016

Horário: de segunda a sexta, das 10h às 19h

acasa.org.br 

Estante-e-Banco-Memórias-de-Maria-Fernanda-Paes-de-Barros

Estante e Banco Memórias, de Maria Fernanda Paes de Barros