A pesquisa de tendências – Marina Seibert Cezar

A melhor conduta para um pesquisador é procurar se manter sempre bem informado.

A importância da pesquisa se baseia na conscientização do desenvolvimento de um produto genuíno e autoral, através das traduções e aplicabilidade das informações coletadas. Esse trabalho preventivo, considerado um seguro contra o fracasso se bem utilizado, serve como uma ferramenta de diferenciação, desestimulando assim, a cultura da cópia.

A melhor conduta para um pesquisador é procurar se manter sempre bem informado, apurando sua sensibilidade para reparar em singelos sinais que constantemente nos rodeiam. E manter constantemente a sensação da descoberta, sem nunca perder o sentimento de estranhamento nos critérios de avaliações.

É indispensável possuir um bando de dados. Para isso, tão logo comprovada a veracidade e legitimação das informações coletadas, é preciso catalogá-las de modo ordenado para utilizá-las sem dificuldade sempre que necessário.

Além das fontes de pesquisas convencionais, outra boa dica é tentar buscar referências em quaisquer materiais complementares. Vale ainda manter sempre o foco nas tendências comportamentais, enriquecendo gradativamente a execução do projeto em questão.

A acessibilidade das informações está cada vez mais fácil. A questão é saber aproveitar, decodificar e aplicar ao produto-alvo.

Baixe aqui o arquivo PDF com a Proposta para o Verão 2006 do Centro de Design Feevale.

* Marina Seibert Cezar abastece o site da Preview Studio em Campo Bom, além de trabalhar no Núcleo de Pesquisa de Tendências do Centro de Design Feevale de Novo Hamburgo. Formada pela Fundação Evangélica de Novo Hamburgo como Desenhista de Arquitetura, é graduada em Moda e Estilo pela Universidade de Caxias do Sul, posteriormente concluindo o curso Estilismo, Modelagem e Técnica de Calçado no Atelier Carrasco. Atualmente é pós-graduanda no curso Cultura de Moda na Universidade Anhembi Morumbi.

Tags: