B3 – Brasil, Bolsa, Balcão

“Simplificar para potencializar” Este é o conceito da nova marca criada pelo GAD, uma das mais importantes consultorias de Branding e Design do País, para a nova companhia, resultante da fusão entre BM&FBOVESPA e Cetip.

A marca B3 – Brasil, Bolsa, Balcão representa graficamente a nova companhia, a partir do entendimento de que potencializar o Brasil e potencializar o mercado, através da Bolsa (um expoente da economia), e dos negócios de Balcão (expertise da Cetip), é o seu maior valor.

A letra B, de Brasil, de Bolsa e de Balcão, entre colchetes e elevada à terceira potência é a síntese do conceito de simplificação e entendimento visual.

O conceito de Naming da companhia é uma proposta ousada e a simplificação foi radical: reduziu o que seria uma sequência de nomes de empresas a uma letra, trabalhada como uma fórmula.

“Esta marca é uma equação. Ela já nasce com um símbolo que as pessoas entendem. Desenvolvemos o conceito de que o maior valor desta companhia ou deste negócio é potencializar o mercado ”, diz Luciano Deos, presidente do GAD.

A cor escolhida para a nova marca foi o azul, uma cor sólida, mais confiável e que denota estabilidade. É uma cor bastante corporativa e representa o Brasil, que tem uma associação natural com o tom.

Também foi criado um “manifesto” para marca, instrumento usado pelo GAD para desenvolver a estratégia e o posicionamento da nova empresa. O texto é como uma autodeclaração emocional, da marca falando dela mesma, do segmento em que atua e da visão deste mercado.

O GAD, que além do Branding, compreendendo Estratégia, Naming e Identidade, também é responsável por todo Roll-out de implantação e pelas campanhas de lançamento, interna (para funcionários) e externa, desenvolveu o projeto a quatro mãos com a equipe de comunicação da B3, envolvendo várias equipes multidisciplinares, ao longo dos últimos 10 meses.

“Penso que temos aqui uma evolução, ou, quem sabe, uma inovação na abordagem e no desenvolvimento deste projeto, pois tradicionalmente o mesmo seria feito por uma consultoria de branding e por uma agência de propaganda. Vemos isto como uma evolução do mercado e dos clientes, talvez numa busca por maior consistência e coerência com o tema das marcas. E também como afirmação da nossa crença e modelo de negócio, que é de trabalhar as marcas em todas as suas dimensões, da estratégia à ativação”, reforça Luciano Deos. 17_0329_AN_GAD -B3-339