CEO do iF Design Award visita o Brasil e elogia designers brasileiros

Fonte Revista Casa Cláudia

O CEO do iF Design Award, um dos mais importantes prêmios de design no mundo, o alemão Ralph Wiegmann, visitou a Abril a convite de CASA CLAUDIA. Ele está no Brasil para participar da Bienal de Design, que abre amanhã em Florianópolis. Para nós, deu uma entrevista exclusiva que você confere abaixo.

Da esq. para dir.: Juliana Buso, do Centro Brasil Design; Lucia Gurovitz, redatora-chefe da revista; Regina Galvão, editora; e Wiegmann.

Da esq. para dir.: Juliana Buso, do Centro Brasil Design; Lucia Gurovitz, redatora-chefe da revista; Regina Galvão, editora; e Wiegmann.

A participação do Brasil no iF Awards está aumentando, a que você atribui isso?

No prêmio, temos uma qualidade crescente das inscrições. Tudo na nossa competição é baseada na qualidade do design. O júri é muito experiente e crítico em suas decisões. Nos últimos dez anos, a qualidade do design do Brasil tem crescido. É simples assim: a qualidade está ficando cada vez melhor.

Qual é a sua expectativa sobre esta viagem para o Brasil?

Comparando com outras visitas ao país, o entusiasmo com relação ao design está maior do que estava há alguns anos. A minha impressão é que esse entusiasmo agora chegou aos negócios. Antigamente, o entusiasmo era grande, mas não havia uma implementação nos negócios. Agora isso já existe nas indústrias. Claro que sempre existe a necessidade da indústria entender o design e os designers poderem oferecer um melhor serviço para a indústria. O que é muito importante, hoje, são os jovens talentos. Porque, em dez anos, não serão mais estes designers que discutimos hoje, mas novos designers e eles precisam de mais suporte do governo, da indústria e da mídia.

Qual é a sua relação com o design brasileiro?

Eu me lembro da primeira designer brasileira que eu conheci, a Ângela Carvalho, no Rio de Janeiro, há muitos anos. Foi meu primeiro contato com o design brasileiro. Ela me ajudou muito a entender, na época, ela tinha uma colaboração com um designer alemão, o Alex Neumeister. Eu acho que há muita criatividade no Brasil. Os designers brasileiros também gostam de usar materiais sustentáveis. Mas a gente percebe que o foco do produto é em soluções nacionais, para um público brasileiro, e algumas vezes os projetos não tem muita competitividade internacional. É isso que eu gostaria que os designers brasileiros identificassem para tentar melhorar.

Guto Índio da Costa, Fernando Prado e Jader Almeida já ganharam o iF Awards. O que é especial a respeito dos trabalhos deles?

Eles são ótimos designers! Os trabalhos deles parecem muito simples, mas são muito bons! Eles têm muito talento! O talento que eles têm é que diferencia o trabalho de um bom designer e um excelente designer. É difícil de explicar, mas eles sabem fazer uso de um bom design. Eles resolvem problemas de maneira simples e isso não é o que acontece sempre. Às vezes, o designer complica as coisas, eles não. Eles solucionam de maneira descomplicada.

Veja também