Crise na Europa preocupa Cannes

O Festival de Criatividade de Cannes enfrenta uma situação ambígua em sua edição 2013: ao mesmo tempo em que planeja o maior evento de todos os tempos, com grandes palestrantes, júri estrelar e outras atrações especiais, precisa lidar com a crise financeira que atinge fortemente as agências europeias.

A crise é tão grave que, segundo Philip Thomas, CEO do festival, está afetando o trabalho criativo. “A situação econômica torna mais difícil correr riscos”, afirma, em entrevista à TV Meio&Mensagem. A expectativa do executivo é que a participação de países menos tradicionais cresça, de forma a suprir uma possível queda da Europa no total de Leões conquistados.

Thomas esteve em São Paulo nesta terça-feira, 26, onde participou de um encontro com estudantes na Faap, pela manhã. De noite, reuniu-se com a imprensa e alguns dos jurados brasileiros. Os dois eventos foram promovidos por O Estado de S. Paulo, representante do Festival de Cannes no Brasil.

O executivo conversou por um longo tempo com Marcello Serpa, sócio e diretor geral de criação da AlmapBBDO, que será um dos presidentes de júri da edição 2013. Thomas também bateu papo com jurados como Fabio Fernandes (F/Nazca S&S), Mário D´Andrea (Fischer & Friends), João Daniel Tikhomiroff (Mixer), Ricardo John (JWT), Márcio Ribas (Neogama/BBH), Michel Lent (Pereira & O´Dell), Aricio Fortes (Africa), Paulo César Queiroz (DM9DDB), Márcio Salem (Salem) e Luciano Deos (Gad´). Queiroz foi indicado jurado nesta terça-feira, 26.

Outros presentes no encontro eram Glen Valente, do SBT, cuja empresa é uma das patrocinadoras do festival neste ano, e Rogério Gabriel Comprido, do Estadão, anfitrião da noite.

Confira aqui para conferir a entrevista de Thomas à TV Meio&Mensagem