Design pode ajudar pequena empresa a ganhar espaço no mercado brasileiro

 

O discurso de Álvaro Guillermo, 51 anos, não combina forma e conteúdo – o que não deixa de ser uma grande contradição para um designer como ele. Embora tenha deixado o Uruguai em 1974, Guillermo ainda carrega o sotaque do país natal, mas nem por isso deixa de se expressar como um legítimo brasileiro. Aliás, depois de tantos anos, ele já se considera um de nós.

Nesta primeira parte da entrevista que concedeu ao Estadão PME, Guillermo fala sobre a dificuldade que o Brasil tem em buscar inovação e design. Ele começa a explicar, também, como pequenas empresas podem adotar práticas – até certo ponto simples – para reverter essa situação.

Guillermo é formado em arquitetura, design e também é mestre em arte, educação e história da cultura. Atualmente, é professor de pós-graduação na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Por que o Brasil, um país criativo, ainda é considerado pobre em inovação e design?Porque nós, brasileiros, não temos metodologia. Fazemos o mais difícil, que é ser empreendedor. Mas desperdiçamos as oportunidades que aparecem no caminho por pura falta de planejamento. Outro grande erro nosso é querer imitar os outros.

O Brasil só dá certo quando faz diferente! O Garrincha corria sem a bola, a Bossa Nova parecia uma música tocada fora do ritmo, as coisas tipicamente brasileiras são diferentes, são inovadoras. E o design é uma forma de a empresa comunicar essas diferenças para seus clientes. Por isso o design é tão importante para os negócios, especialmente os de pequeno porte.

Por quê?Porque as pequenas empresas dificilmente conseguirão oferecer o menor preço do mercado. E ainda que tenham um produto muito bom, qualidade hoje é algo obrigatório, não diferencia ninguém. Por isso, resta o design como estratégia de diferenciação, que pode transformar um produto em objeto de desejo e agregar valor à marca.

E como incorporar o design na vida das pequenas empresas?O primeiro passo é identificar a missão, a visão e os valores da empresa. Seus valores vão determinar sua identidade. Mas se os valores dos outros são iguais aos seus, todos serão iguais, não vai adiantar nada. A empresa pode ter ótimos produtos, mas o consumidor não vai lembrar quem fez aquilo.