Designer cria portal de pesquisa de tendências para a cadeia moveleira

Fonte : Julliana Bauer

Após passar anos prestando consultoria na área de análise de tendências para a indústria moveleira, a designer Silvia Grilli percebeu que era o momento de disponibilizar seus serviços  para um público bem maior, através da internet. A ideia era gerar uma referência para o setor moveleiro interessado em se qualificar em design, mas usando uma linguagem bem diferente daquela das revistas e portais sobre decoração – que nem sempre são voltados para o empresário. “As revistas de decoração destacam mais o design conceitual e isto não interessa ao empresário, que tem uma visão mais prática e comercial”, explica Silvia.

Foi assim que nasceu o portal TrendMóvel, que já conta com cerca de cinco mil pessoas cadastradas que têm acesso a um acervo de 15.000 imagens de produtos  – além de cerca de 1.500 novas imagens por trimestre. O portal conta com colaboradores de países como Colômbia, Inglaterra e Itália, mas nada de Estados Unidos. “No Brasil o consumidor valoriza mais a estética europeia do que a americana”, conta. A disponibilização do conteúdo se dá através de cadastro, que é gratuito.

Os cadastrados estão em boas mãos. Silvia tem especialização em interior design pela Scuola Lorenzo de Médici, em Florença, e já atuou como consultora de diversas empresas do setor moveleiro nas áreas de criação, produtividade e estratégias de mercado.  Iniciou sua carreira na Vogue, Arredamento e Forma e, após um período trabalhando na Itália, voltou ao Brasil e fundou seu próprio estúdio em São Paulo – o STUDESIGN. O TrendMóvel é seu projeto mais recente.

 

Silvia tem especialização em interior design pela Scuola Lorenzo de Médici e já atuou como consultora de diversas empresas do setor moveleiro

Silvia tem especialização em interior design pela Scuola Lorenzo de Médici e já atuou como consultora de diversas empresas do setor moveleiro

 

Seu público-alvo é a cadeia moveleira – fornecedores, fabricantes e designers, mas o site tem chamado a atenção de outros profissionais da área de criação. Um bom sinal, já que a ideia do portal era justamente essa – tornar-se referência como uma fonte de consulta confiável. “As reportagens que existem por aí são escritas por jornalistas, e não por pessoas especializadas no assunto”, afirma.

As pesquisas de tendências nunca são feitas visando o médio ou longo prazo, mas mostrando as novidades que o empresário pode inserir em seus produtos – e que são viáveis. “Acreditamos que tendência significa um ‘fato que tende a acontecer’, portanto não é o que está na moda, ou o que está nas vitrines e feiras”, explica a designer, que diz não acreditar em um consenso comum do mercado moveleiro, de que visitar feiras é sinônimo de conferir tendências. “Ora, o que está exposto na feira é um produto consolidado, e não uma tendência”.

 

trendmovel

TrendMóvel já tem cerca de cinco mil cadastrados

Veja também