Diagnóstico do design brasileiro é apresentado em Manaus

Fonte Portal Rondônia

 

diagn

 

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) apresentaram na quinta-feira (24), em Manaus, o “Diagnóstico do Design Brasileiro”. O documento – lançado em meados de junho, em Brasília – tem como objetivo criar uma referência em design para o desenvolvimento da indústria e fornecer subsídios para a elaboração de uma política pública de design, no País. Atualmente, o design é considerado um elo importante entre indústria e mercado por influenciar, diretamente, no desenvolvimento de produtos percebidos como de qualidade e com desempenho superior. 

O gerente de Inovação e Design da Apex-Brasil, Marco Lobo, e a diretora do Centro Brasil Design, Letícia Gaziri, apresentaram detalhes do “Diagnóstico” no auditório da Faculdade Martha Falcão (zona Centro-Sul de Manaus). 

A indústria mundial passa por um nivelamento em termos de tecnologia e o design tem surgido como o grande diferencial dos produtos. No caso da Zona Franca, a ferramenta está intimamente ligada ao domínio do ciclo de produção, buscado pela SUFRAMA. “Quando assumi a superintendência, revelei a intenção de buscar o domínio do ciclo da produção no Polo Industrial de Manaus. Algumas empresas já estão caminhando neste sentido, saindo da simples manufatura para a concepção dos produtos em Manaus. O caso de aplicativos para celular é o mais emblemático no momento”, diz Nogueira. “Acabamos de garantir mais 50 anos de incentivos. Neste cenário, o design é imprescindível para garantir a competitividade do modelo nos anos que virão”, completa.

Diagnóstico

O “Diagnóstico do Design Brasileiro”, realizado pelo Centro Brasil Design, teve por base pesquisas feitas num período de oito meses, com mais de trezentas empresas brasileiras. Foi avaliada a compreensão do design nos setores industriais e de serviços. Também houve uma análise de dados do design no Brasil e das variáveis que impactam no ambiente de negócios. Além disso, especialistas apresentaram os cenários para o futuro do design no país até 2020, com visões conservadoras, moderadas e otimistas. O trabalho também apresenta indicadores, referências internacionais e contribuições de especialistas e formadores de opinião.

O documento foi apresentado para nove setores da indústria brasileira: máquinas e equipamentos; médico-odonto-hospitalar; higiene pessoal, perfumaria e cosméticos; mobiliário; embalagem para alimentos; calçados; têxtil e confecção; cerâmica de revestimento e audiovisual. Nenhuma empresa do Amazonas participou da pesquisa, mas os subsídios presentes no documento têm aplicação direta na economia local.

Fonte: http://www.portalrondonia.com/site/%E2%80%98diagnosticododesignbrasileiro%E2%80%99eapresentadoemmanaus,34307.htm