Electrolux abre seu Centro de Design para apresentar semifinalistas do Design Lab 2013

 

Luiza Silva (de branco, ao centro), ao lado de Jorge Alberto Blanco (de terno preto, à direita de Luiza) e Adrian Zapata (de branco, à esquerda de Luiza)

 

O que mais chama a atenção entre os vinte projetos semifinalistas do Electrolux Design Lab 2013 é o teor altamente conceitual dos trabalhos. Diferentemente de outras premiações, que pedem por trabalhos mais “pé no chão”, a Electrolux dá espaço para que seus candidatos pensem em soluções para problemas do presente que poderão se acentuar no futuro. Com o tema “Vida Urbana Inspirada”, o concurso, que existe desde 2002, alcançou nesta edição1700 inscrições de mais de 60 países. Ao longo das etapas, os candidatos recebem orientação de profissionais da multinacional.

Os vinte semifinalistas foram escolhidos por vários profissionais de design da Electrolux. Por meio de uma votação online, o público também teve a chance de escolher dois de seus trabalhos preferidos para figurar entre os vinte melhores. O resultado final será divulgado no dia 16 de outubro, em uma cerimônia em Estocolmo, na Suécia. O primeiro prêmio será de €5 mil e um estágio remunerado de seis meses em um centro global de design da multinacional. O segundo colocado receberá €3 mil e o terceiro, €2 mil. Para Julio Bertola, diretor latino-americano de design da Electrolux, o Design Lab é uma fonte de inspiração. “Tudo que estamos vendo são coisas para o futuro, é uma energia criativa”, afirma.

 

Atomium, projeto de Luiza Silva (foto: divulgação)

 

Em um evento realizado no Centro de Design da Eletrolux, em Curitiba, três semifinalistas latino-americanos tiveram a chance de apresentar seus trabalhos. A curitibana Luiza Silva foi uma das selecionadas com o “Atomium”, um projeto de impressora 3D que usa ingredientes moleculares para a criação de elementos camada por camada. A ideia é que crianças possam escolher sozinhas o formato do alimento que irão consumir. “A experiência no Design Lab reforça a ideia de que nosso projeto é possível. A cada etapa que vencemos, percebemos que não somos os únicos a acreditar no que criamos”, conta.

 

Ohita, projeto de Jorge Alberto Blanco (foto: divulgação)

 

“Steve Jobs dizia que se sempre pensarmos em projetos que funcionem com a tecnologia já existente, nunca teremos novas tecnologias”, afirmou Jorge Alberto Treviño Blanco, semifinalista mexicano do concurso. O projeto de Blanco, batizado de “Ohita”, propõe um filtro de ar com estrutura de escultura modular cinética. O eletrodoméstico possuiria módulos que poderiam ser usados de forma decorativa em casa, além poder ser levado para ambientes externos, como forma de evitar que o usuário respire ar poluído. Conectado a um aplicativo, o objeto ainda salvaria memórias do usuário sobre o ar em lugares de sua preferência, como praias e montanhas. “Após todas essas etapas do concurso, devo ser sincero e confessar que aprendi mais com essa experiência do que em qualquer outro projeto da faculdade”, afirma.

 

Projeto Mab, de Adrian Zapata (foto: divulgação)

 

O terceiro projeto apresentado no evento, do colombiano Adrian Zapata, sugere um sistema de limpeza automático composto por minirrobôs voadores. Batizado de “Mab”, o projeto pretende trazer magia ao cotidiano, deixando mais tempo livre para que as famílias aproveitem juntas, e não realizando atividades domésticas. Antes da apresentação dos projetos, um dos finalistas da edição de 2004 do prêmio, Rodrigo Wolff, deu seu relato sobre a experiência: não venceu, mas foi contratado pela Electrolux e está lá desde então. Wolff conta que teve a oportunidade de visitar a Suécia, onde foi realizado o anúncio dos vencedores.

 

Centro de Design

Centro de Design da multinacional conta com biblioteca especializada no assunto

 

Construído em 2011, o moderno prédio do Centro de Design da Electrolux destoa do restante do cenário industrial da fábrica da multinacional. Os 47 designers que trabalham lá têm acesso a uma estrutura que inclui uma biblioteca de materiais, sala de realidade virtual e softwares dos mais modernos. É ali que são idealizados todos os produtos voltados para o mercado do Brasil e da América Latina. “Temos a tradição do Design”, orgulha-se Bertola, ao apresentar a sala de realidade virtual. Nela, os designers podem visualizar os produtos idealizados muito antes da criação dos protótipos, sendo a primeira empresa do ramo a ter um espaço do gênero. Desta forma, tempo e dinheiro são poupados.

 

Biblioteca de materiais do Centro de Design Electrolux

 

Mostruário de produtos fica na entrada do Centro de Design Electrolux