Em nove mostras, Bienal Brasileira de Design 2010 apresenta o melhor da produção nacional do setor

De 14 de setembro a 31 de outubro, Curitiba vai respirar design. Nesse período, a Bienal Brasileira de Design 2010 ocupará diversos espaços da capital paranaense, desde museus e universidades até parques e calçadões, para apresentar o melhor da produção nacional do setor. Serão nove mostras, todas com monitores treinados para recepção do público.

A principal delas, que acontece no Centro Cultural da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), sob curadoria de Adélia Borges, leva como título o próprio tema do evento: “Design, Inovação e Sustentabilidade”. A exposição quer contribuir com a reflexão acerca desse debate contemporâneo, ao apresentar produtos sintonizados, em maior ou menor grau, com as noções de desenvolvimento sustentável, considerado em seu entendimento amplo: ambientalmente responsável, economicamente inclusivo e socialmente justo.

Para isso, a curadoria está contando com o auxílio de consultores e pesquisadores espalhados por todas as regiões do país. Essa mesma equipe se encontra envolvida na organização da mostra “A Reinvenção da Matéria” que, sediada no Museu Oscar Niemeyer, vai apresentar processos inteligentes de transformação de matérias-primas em objetos sustentáveis no Brasil. Da Dinarmarca, vem a exposição “It’s a small world”, com referências internacionais em design sustentável, cuja instalação será no Centro Cultural da Fiep.

Mergulho histórico

A Bienal 2010 está antenada com as tendências atuais e isso significa também resgatar fatos do passado cuja contribuição criativa permanece até hoje. Sob curadoria de Freddy Van Camp e Ivens Fontoura, a mostra “Primórdios de uma ideia” vai retratar, no Centro Cultural da Fiep, as bienais de design realizadas entre 1960 e 1970, no Rio de Janeiro, e aquelas da década de 90, ocorridas em Curitiba.

No mesmo local, a exposição “Memória da Indústria – O caso da Cimo”, com curadoria de Angélica Santi, traz a experiência dessa indústria de móveis sulista, criada nos anos 20, cuja atuação até a década de 70 estabeleceu um divisor de águas entre o trabalho artesanal e a produção seriada no Brasil.

Os curadores Renato Bertão e Antonio Razera Neto apresentam, na Universidade Positivo, a mostra “Pioneiros do Design no Paraná”, com o objetivo de contribuir para conservação da memória cultural brasileira. A história do planejamento da cidade de Curitiba vai ser relembrada na exposição “Design Urbano”, por meio da qual o curador Jaime Lerner prentede mostrar – em local ainda a confirmar – que a contribuição do design ultrapassa o universo dos bens de consumo e pode alcançar a esfera pública.

Novos talentos

Ao lado dos designers profissionais, os universitários também terão espaço na Bienal 2010. A mostra “Novíssimos”, com curadoria de Ivens Fontoura e sede no Centro Cultural da Fiep, está em contato com professores de todo o Brasil, a fim de reunir trabalhos acadêmicos inovadores e de bom design, de modo a projetar a nova geração que se encaminha ao mercado de trabalho.

A exposição gráfica “Sustentabilidade: E eu com isso?” deseja utilizar o poder de comunicação do cartaz para provocar uma discussão sobre o campo semântico abrangido pela palavra sustentabilidade, cujos diversos significados são motivos para discussões políticas acaloradas no mundo atual, permeado por preocupações ambientais.

A seleção das peças para a mostra se dará de duas formas: 20 delas serão desenvolvidas por profissionais especialmente para a Bienal. A escolha das outras 10, elaboradas por universitários, acontecerá por meio de um concurso, dividido em duas fases: na primeira, os curadores André Stolarski e Rico Lins vão receber dos estudantes ideias para cartazes; as 20 melhores passam para a etapa de produção, que consistirá em um workshop exclusivo com renomados designers brasileiros, durante o N Design Imersão 2010, com todas as despesas pagas. Desse evento, resultarão os dez participantes da Bienal. Os cartazes vão ser expostos ao longo da Rua XV de Novembro, nos parques Barigui e Jardim Botânico.

Muito mais

Além das mostras, a programação inclui ações educativas, que objetivam levar a temática da Bienal 2010 a instituições de ensino municipal, por meio de atividades em sala de aula e nos espaços do evento; ações interativas, intermediadas pelos sites da Bienal (www.bienalbrasileiradedesign.com.br) e da Rede DesignBrasil (www.rededesignbrasil.org.br); ações do conhecimento, articuladas em Design Innovation Labs e Fóruns de Discussão, que vão reunir, entre 15 e 17 de setembro, seminários, clínicas, workshops, apresentação de cases e painéis de discussões, com a meta de estimular empresários a investir no design, na inovação e na sustentabilidade; e ações culturais paralelas, propostas pela comunidade e agregadas ao roteiro da Bienal, com o intuito de fazer a cidade respirar design.

A Bienal Brasileira de Design 2010 – Curitiba é uma realização do Centro de Design Paraná e da Federação das Indústrias do Estado (Fiep), numa iniciativa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e do Movimento Brasil Competitivo (MBC), patrocinada até o momento pela Fiat Automóveis, Banco Santander e Natura Comésticos. A produção executiva é de Ana Helena Curti (Arte 3); projeto de arquitetura de Pedro Mendes da Rocha; e design gráfico de Oswaldo Miranda (Miran).

Serviço:Bienal Brasileira de Design 2010 – Curitiba14 de setembro a 31 de outubroCentro Cultural da Fiep – Av. Comendador Franco 1341, Jardim BotânicoMuseu Oscar Niemeyer – Rua Marechal Hermes 999, Centro CívicoUniversidade Positivo – Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza 5300, Campo CompridoJardim Botânico – Rua Eng°. Ostoja Roguski s/n,° Jardim BotânicoParque Barigüi – BR 277 Rodovia do Café Km 0, Santo InácioRua XV de Novembro – Calçadão, Centro

Em breve programação e itinerários completos no www.bienalbrasileiradedesign.com.br.