Ícone do design automotivo brasileiro, Anísio Campos ganhará documentário

História de Anísio Campos vai virar documentário

O envolvimento de José Anísio Barbosa de Campos com a criação de projetos automotivos começou há 50 anos. Desde então, ele sempre investiu em propostas ousadas, que resultaram em modelos como o Kadron, primeiro bugue brasileiro (na década de 80), o Puma GT, o esportivo Carcará e o pequeno Dacon 828. Isso sem falar dos carros de competição que foram pilotados por José Carlos Pace e Emerson Fittipaldi, além do próprio Anísio. Nascido em 6 de março de 1933, ele ficou conhecido como Anísio Campos. Agora, próximo de comemorar 80 anos, continua saudável e na ativa. Vive e trabalha em uma casa às margens da represa Bilings, em São Paulo, onde “adora vasculhar as gavetas e, entre muitos projetos, escolher alguns que saíram do papel e foram realizados com sucesso”, como descreve em seu site. É justamente a partir dos que ganharam as ruas que a cineasta Raquel Valadares pretende contar a história do pai no documentário que tem o nome provisório”Homem-Carro”. “A ideia é que eu possa mostrar como ele observa as coisas, o que ele cria. E para ver sob a perspectiva dele, preciso reunir toda a sua obra e mostrar como ela amadureceu e se transformou”, diz. Para conseguir juntar todos os modelos criados pelo pai, ela saiu em busca de ajuda. “Meu pai é do meio automobilístico, não eu… Por isso, me senti muito desprovida de meios quando comecei a tentar encontrar os carros. Assim, recorri a antigos amigos dele e a pessoas com interesses comuns, como membros do clube doPuma“, conta. O pedido surtiu efeito e teve um alto volume de respostas. Tantas pessoas se manifestaram, que ela cogita adaptar o roteiro original. “A grande virada pode ser falar da história desses personagens, os donos dos carros”, diz.

Desenhado por Anísio Campos, Puma GT equipado com motor VW 1600 foi testado por Autoesporte em 1969

Uma das dificuldades de Raquel é achar modelos mais raros, como o Escorpion Ergo Cabine e o Escorpion pick-up, ambos de 1985. Além deles, tem sido uma tarefa árdua encontrar uma picape dupla Topazzio, de 1987, desenhada na época da Engerauto. “Ela tem o desenho preferido por meu pai”, fala. Abaixo, segue trecho da carta que ela publicou na internet e a lista de modelos: “Quero localizar carros que constituem a obra do Anísio Campos e conversar com seus donos. Quero conversar com quem sabe de alguém que conhece alguém. Ou mesmo que sabe onde os carros, mesmo abandonados, jazem. Tudo isso interessa ao meu filme. Tudo isso interessa para resgatar esta memória.”1964 – Puma GT DKW (e Malzoni) 1966 – Carcará (réplica única com Paulo Trevisan) 1968 – AC biposto de corrida 1969 – Puma GT-4R 1970 – Tropí 1974 – AC monoposto Fórmula Super-Vê S/data – Karmann-Ghia/Porsche, Equipe Dacon S/data – Corcel Hatch, Souza Ramos S/data – P.A.G. Dacon 1982 – 828 1985 – Escorpion Ergo Cabine 1985 – Escorpion pick-up 1987 – Topazzio 1988 – Nickinho 1988 – Nickão 1990 – Chubby 2005 – 828/3 (protótipo único com Ricardo Machado)Quem souber do paradeiro dos automóveis deve procurar diretamente a cineasta. Contatos E-mail: [email protected] Telefones: (21) 7864-5745, (21) 3269-7391, (21) 3164-4626 Nextel: (ID) 10*5553 Skype: (ID) kelcampos