Menos por mais: redução de embalagem

ão são só ex-jogadores e estrelas que estão preocupados em reduzir as medidas.Motivado pela sustentabilidade e otimização de recursos, o mercado de consumo também vem concentrando esforços para reduzir materiais utilizados em embalagens.

Mas, e aí? …isso é relevante para uma marca?

Há alguns anos a Coca Cola apresentou uma nova garrafa de vidro que reduziu a quantidade material utilizado, sem reduzir o volume. E anos mais tarde trouxe na Crystal, água mineral, garrafas com porcentagem reduzida de uso de plástico. 

Em ambos os casos houve um esforço em comunicação para explicar a mudança. Se não tivesse esse esforço, aposto que o consumidor não entenderia o que tinha mudado ou poderia ter a sensação de que foi lesado (afinal a embalagem parece meno e mais frágil)

Mas economizar embalagem é deixar design em segundo plano? Não. A Puma e a Nivea tem embalagens (estas desenvolvidas pela Fuse Project) que alinharam design e o propósito de reduzir materiais.

Mas dá para ir além e mexer na experiência de uso!

O The Disappearing Package, tese de mestrado de Aaron Mickelson, ilustra como simples reduções de materiais não prejudicam e melhoram a experiência de uso.

Mudar a relação do consumidor com o produto pensando de forma sustentável transforma a experiência dele com a marca. É fazer muito por menos.

Confira a matéria na íntegra na fonte: http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/menos-por-mais