Motorola cria centro de design em São Paulo

Fonte Baguete

A Motorola inaugurou, em São Paulo, o primeiro Centro de Experiência & Design de Produtos (CXD) da empresa no Brasil. O CXD é um núcleo multidisciplinar formado por seis áreas: design industrial, interface de usuário, pesquisa, engenharia e protótipos, embalagens e web.

O CXD tem em seu escopo de trabalho compreender as necessidades e tendências dos mercados e tornar as estratégias globais de produtos mais assertivas e próximas aos consumidores. O objetivo da equipe é identificar oportunidades para promover a sinergia entre plataformas de hardware e software.

“Uma pessoa tem uma experiência relevante quando consegue realizar uma ação de forma intuitiva ou quando sente que o produto está com ele há muito tempo, quando na verdade não está. O CXD chega ao Brasil para trazer ainda mais inovações aos produtos que lançaremos nos países da América Latina”, afirma Ruben Castano, líder do CXD na América Latina.

Entre seus principais projetos estão as pesquisas para a seleção de novas cores e materiais para smartphones e acessórios que serão lançados nos próximos anos, e estudos de viabilidade para o lançamento de novas categorias de produtos.

O CXD ainda lidera o desenvolvimento de novas plataformas de interação com os consumidores, criação de softwares e aplicativos, além de propostas de soluções gráficas para embalagens de produtos e soluções para ponto de venda.

Para execução dos projetos, o grupo vai utilizar ferramentas e processos globais da Motorola, contando com a participação de parceiros locais, quando necessário. Para compor o novo time, já foram contratados profissionais nas áreas de design gráfico e industrial, web design, engenharia e pesquisa.

Na última semana a Motorola anunciou que dobrou o número de colaboradores que atuam na área de Pesquisa & Desenvolvimento no Brasil no último, contratando mais de 200 pessoas.

O P&D da Motorola é responsável pela integração e gerenciamento de software de produtos, bem como pelo desenvolvimento e união de todas as funcionalidades.

A equipe trabalha hoje em mais de 30 projetos, incluindo novas áreas de atuação, como software embarcado, processamento de imagem, big data, computação em nuvem, tecnologia e serviços 4G, design, pesquisa e experiência do usuário.

O investimento da Motorola em pesquisa acontece depois de um crescimento nas vendas de smartphones da marca no Brasil. No ano passado, o Moto G, que custa cerca de R$ 700, foi o aparelho mais comercializado no país.

Por causa do sucesso do smartphone, a Motorola ultrapassou a LG e se tornou a segunda fabricante mais popular do país em 2014, com 18% de participação no mercado de smartphones. A liderança do ranking ficou com a Samsung, com 43% do marketshare.