O vencedor do concurso de identidade visual da V Bienal Brasileira de Design já foi definido!

 

O concurso de identidade visual da V Bienal Brasileira de Design de Florianópolis tem um vencedor, que será premiado com R$ 35 mil. A decisão foi tomada nesta segunda (18), quando um júri formado por oito profissionais indicados pelo Comitê de Orientação Estratégica da BBD de Florianópolis se reuniu na Capital catarinense. O nome do ganhador será anunciado em festa de premiação, ainda sem data definida.

Foram analisadas 17 propostas previamente selecionadas entre os 90 trabalhos com inscrição validada. Os critérios foram originalidade, criatividade, clareza na comunicação, impacto visual, aplicabilidade técnica e, especialmente, a capacidade de expressar o tema da V BBD -Design para Todos -, e o nome da edição florianopolitana, OBA Floripa.

O objetivo do júri foi eleger uma identidade visual ao mesmo tempo adequada para os brasileiros daqui a dois anos, em 2015, e atraente ao olhar dos estrangeiros. “O trabalho vencedor saiu depois de muito debate. Além de encontrarmos propostas muito boas, precisávamos de uma identidade visual a altura da Bienal de Santa Catarina, que com certeza será um marco na história do design brasileiro”, afirmou o designer Bruno Porto, presidente do júri.

O projeto vencedor, de acordo com o jurado Marco Aurélio Lobo, gestor de projetos da Unidade de Inovação e Design da Apex-Brasil, tem o foco no ser humano. Para ele, o sucesso do concurso de identidade visual fecha 2013 com saldo positivo: “o cerne da Bienal está feito: tema, curador e identidade visual estão escolhidos”, ponderou.

 

O júri

Da esquerda para a direita, Bruno Porto, Adelia Borges, Marco Aurelio Lobo, Roselie Lemos, Leticia Gaziri, Lincoln Seragini, Beatriz Carneiro

Participaram do júri Bruno Porto, designer e curador da Bienal de Design Gráfico da ADG (Associação dos Designers Gráficos do Brasil); Lincoln Seragini, consultor de Economia Criativa e proprietário da Seragini/Farné; Adélia Borges, jornalista, escritora e especialista em design escolhida como curadora da V BBD; Roselie Lemos, presidente da SC Design (Associação Catarinense de Design); Letícia Castro Gaziri, diretora executiva do Centro Brasil Design (CBD); Marco Aurélio Lobo, gestor de projetos da Unidade de Inovação e Design da Apex-Brasil; Natalino Uggioni, superintendente do Instituto EuvaldoLoddi (IEL/SC); e Beatriz Carneiro, representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Sobre a Bienal

A BBD tem o objetivo de apresentar o melhor da produção de design nacional e aumentar a percepção do público sobre a presença do design em seu dia a dia. Dessa forma, propicia a reflexão sobre o tema e promove a atividade como fator decisivo de competitividade para produtos e serviços.

A primeira edição, realizada em 2006 na Capital paulista, reuniu 35 mil visitantes e 600 produtos. O número de produtos expostos dobrou em 2008, em Brasília, quando a mostra atraiu 40 mil visitantes.

Em 2010, em Curitiba, a Bienal contou com nove mostras espalhadas por seis espaços, que incluíram pavilhões de exposição e parques e teve como temática central “Design, Inovação e Sustentabilidade”. Em 2012, foi realizada em Belo Horizonte, com o tema “Diversidade Brasileira”. Uma decisão estratégica definiu que a quinta edição ocorreria em 2015, em razão dos eventos esportivos que vão mobilizar o País em 2014 e 2016.

Em Florianópolis, os preparativos para o evento já começaram. Uma exposição com produtos catarinenses que se destacam pelo design rodou Santa Catarina e passou pelo Rio Grande do Sul. Recentemente foi escolhido o nome da curadora, Adélia Borges, que também respondeu pela curadoria da Bienal de Curitiba.

A V BBD é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e do Movimento Brasil Competitivo (MBC), apoiada pela Apex-Brasil e Governo de Santa Catarina e promovida pela FIESC e pela Associação Catarinense de Design (SC Design).