Projeto SouCuritiba é reconhecido como boa prática nacional para o desenvolvimento regional

Mapeado durante a avaliação dos 65 destinos brasileiros para a composição do Índice de Competitividade do Turismo Nacional – o qual selecionou a capital paranaense como um dos cinco destinos mais competitivos do País -, o SouCuritiba foi um dos 15 projetos de destaque em boas práticas, premiados pelo Ministério do Turismo (MTur), em parceria com o Sebrae Nacional e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Com o propósito de identificar ações que se destaquem na economicidade, mobilização e cooperação dos empresários em diversos destinos turísticos, a premiação aconteceu em Brasília, no início do mês, e tem como finalidade divulgar os casos de sucesso para inspirar e fomentar atividades do setor de turismo com ideias simples, de baixo custo e bons resultados em diferentes localidades brasileiras, para torná-las mais competitivas.

O projeto de economia criativa do Sebrae/PR, que trabalha junto aos produtores locais com o desenvolvimento de souvenires inovadores para Curitiba, segundo o documento publicado pelo MTur, Sebrae e FGV que descreve as 15 iniciativas brasileiras, foi destaque pelas suas práticas de valorização da identidade curitibana, profissionalização do artesão, qualificação do próprio artesanato e melhorias na promoção da imagem do destino.

Em atuação desde 2013, mais de 20 mil produtos confeccionados pela marca SouCuritiba já foram vendidos em pontos estratégicos da cidade, gerando uma arrecadação de aproximadamente R$ 250 mil. Entre os itens mais populares, estão a Lata de Ar de Curitiba e o Mini Jardim Botânico. Em 2015, foi lançada a terceira coleção da marca, com 46 novos itens, confeccionados por 16 produtores e em parceria como Clube Atlético Paranaense (CAP), com itens específicos para o clube e outros associados à imagem da Arena da Baixada, estádio da Copa do Mundo, no Paraná. A ideia é que, em 2016, outras coleções temáticas sejam produzidas.sou1

Consultora do Sebrae/PR e gestora do projeto, Patrícia Albanez ressalta que, para que a iniciativa seja considerada pelos avaliadores, ela precisa trazer benefícios locais ou regionais, apresentar resultados efetivos que impactem de forma direta ou indireta o turismo, ser replicável em outros destinos, e ser viabilizada por meio da articulação entre diversos atores locais.

“A repercussão nacional desse prêmio servirá para extrapolar as fronteiras e servir como modelo de referência para outros destinos. Com base nesse projeto local, já está sendo lançada, também, a primeira coleção do Souvenir Londrina. O sucesso do SouCuritiba se deve também aos parceiros, de diferentes setores, que se apropriaram da proposta Sebrae/PR e se tornaram partes responsáveis de todo o projeto”, assinala Patrícia Albanez.

logo-sou-curitiba-souvenirs-vertical

O diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini, lembra que a iniciativa começou dentro do contexto do Sebrae 2014, projeto em que foi trabalhado também a questão do souvenir, pensando na Copa do Mundo como uma oportunidade para micro e pequenas empresas paranaenses.  “Uma das grandes virtudes do SouCuritiba é transformar identidade cultural em produtos e serviços, oportunizando que cada turista possa levar um pouco de Curitiba para várias partes do Brasil e Mundo. Esse reconhecimento gratifica a todos atores envolvidos no projeto”, completa Julio Agostini.

Parcerias

O SouCuritiba conta com o apoio da Prefeitura de Curitiba, o Instituto Pró-Cidadania de Curitiba (IPCC), a Fundação de Ação Social (FAS), o Instituto Municipal Curitiba Turismo, a Fundação Cultural de Curitiba, o Curitiba Região e Litoral Convention & Visitors Bureau (CC&VB), a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e o Centro Brasil Design (CBD).

De acordo com os pesquisadores, a experiência promove a sinergia entre os agentes envolvidos e a contribuição social, já que os lucros das lojas revendedoras, como a Leve Curitiba, são revertidos para o IPCC e para os projetos sociais na cidade. “Com esse reconhecimento, o projeto ganha ainda mais visibilidade e credibilidade, gerando segurança para o próprio produtor, que sabe que estamos apoiando um trabalho sério e apostando no seu desenvolvimento”, afirma Francisca Cury, gerente comercial do IPCC, entidade que administra as lojas Leve Curitiba, uma das maiores revendedoras dos souvenires.

Diretora executiva do CC&VB, Tatiana Turra destaca, ainda, que o projeto sai na frente por ser bem estruturado e atender os diferentes tipos de turistas que visitam Curitiba. “Tudo o que é produzido atende os critérios de qualidade, os produtores são qualificados e sempre remete ao resgate de hábitos e cultura do curitibano, agregando valor e competitividade para a cidade.”

Projeto do litoral também é destaque

De Paranaguá, também foi destaque em boas práticas o projeto Rede Caiçara de Turismo Comunitário, que promove o desenvolvimento das comunidades da baía de Paranaguá, a fim de valorizar a cultura, a culinária e os atrativos locais, sem promover o impacto ambiental negativo, e contribuindo para o sustento das próprias comunidades.

A rede é parte do projeto de educação ambiental do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), em parceria com a Prefeitura Municipal e Sebrae/PR. O projeto foi iniciado em 2013 e envolveu ações de sensibilização e capacitação sobre o turismo de base comunitária. Em 2014 foi criada a rede, sendo que cada comunidade possui um regimento com suas normas de gestão. Estão atualmente ativas as comunidades de Ponta do Mar, São Miguel, Paiçaguera, Eufrasina e Ilha dos Valadares.