Webdesigner americano cria forma diferente de cobrar pelo trabalho

Fonte : Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios

Adrian Hoppel é um webdesigner da Filadélfia e há alguns anos  decidiu que não queria trabalhar em um emprego tradicional.

Se isso já parece arriscado para um adulto com uma família e filho pequeno  para criar, Hoppel foi além. Decidiu por uma mudança ainda mais radical e parou de cobrar dinheiro por seu trabalho. Ao invés disso, começou a operar dentro do que chamou de “economia do presente”.

Adrien diz que nunca deixou de receber ao menos um presente por um trabalho realizado.

Adrien diz que nunca deixou de receber ao menos um presente por um trabalho realizado.

Hoppel explicou em seu blog sua nova filosofia de trabalho. “Se nós decidirmos trabalhar juntos, eu vou construir um site como um presente, e depois que estiver pronto, eu dou a você. Então, se você considerar que o projeto valeu a pena, pode escolher algo justo de presente de volta para mim. Não há nenhum contrato, nenhuma negociação, nenhuma pressão”.

A única pressão que existe, claro, é o de de ganhar o pão de cada dia. Mas quanto a isso, Hoppel não parece preocupado. “A maioria dos clientes me presenteou com pagamento em dinheiro, e em uma quantia maior do que eurecebia no modelo tradicional, baseado na negociação, em que os menores preços vencem a concorrência. Já o modelo de presente que se baseia no respeito mútuo e na justiça”.

Segundo ele, adotar esse sistema não significa trabalhar de graça, mas se baseia em uma troca de confiança. “As pessoas confiam em mim para construir um site, e eu confio neles para apoiar meu trabalho da maneira mais justa”. E complementa: “Com essa escolha, eu recebi o presente mais importante de todos: a verdadeira fé nas pessoas em serem honestas, justas, generosas e solidárias”.

Segundo ele, nunca algum cliente deixou de dar pelo menos algum presente por seu trabalho. E você, o que acha do sistema de Adrien?

Fonte

Tags:

13 Comentários

  1. Alexo Mello disse:

    Aqui no brasíl? não sei, não…

  2. Marcos disse:

    Corajoso! Arriscado! Será que ele receberia algo justo no brasil?

  3. Pétrick Gouvêa Soares disse:

    Nos estados unidos é uma coisa, no brasil é outra, acho que em nosso país esse sistema não é uma boa opção, já que existem várias formas de se conseguir bons trabalhos de design a custos abusivos, o que eu não concordo, mas é a realidade.

  4. Jonas Kakaroto disse:

    Arriscado…

  5. Christiana Magalhães disse:

    Infelizmente no Brasil esse sistema não pode ser prático, o que é lastimável, assim como lá fora o abastecimento de diesel somos nós mesmo que colocamos e pagamos. Achamos que aqui funcionária? De forma alguma. Vivemos num país doente aonde desde da velha história a corrupção, roubo, desonestidade já existia. Isso não vem de agora, poucas pessoas agem de forma correta e sabe reconhecer o devido valor de um profissional e de um ser humano.

  6. cezar disse:

    BEM OUSADO REALMENTE, EM OUTRAS CULTURAS ACREDITO QUE POSSA E DEVA FUNCIONAR BEM, NO BRASIL, O QUE TEMOS É A BUSCA PELO BOM E BARATO, QUE SABEMOS QUE POUCO (OU NÃO) EXISTE, INFELIZMENTE.

  7. Fernando disse:

    No Brasil ele poderia até abrir uma pizzaria com tanta pizza que iria ganhar como troca… pois afinal… no brasil tudo acaba em pizza mesmo!!! bem que a moda agora é banana… kkk pizza de banana…. lol

  8. amanda disse:

    Ideia super legal, e acho sim que funcionaria no brasil, pois pessoas desonestas não procurariam o serviço.
    E para vocês, desacreditados dos comentários, no momento em que começarem a por fé no Brasil é que ele começará a melhorar.

  9. Ronaldo andrade disse:

    AQUI NO BRASIL FUNCIONA, EM POUCOS CASOS É CLARO…MAS FUNCIONA SIM!
    fAÇO ISSO A UM BOM TEMPO E EM 90% DOS CASOS EU RECEBI BEM MAIS DO QUE COBRARIA.

  10. Ricardo luckas disse:

    Se fosse aqui no brasil, nós RECEBERÍAMOS apenas um tamagotchi.

  11. JOCA CRUZ disse:

    Acho meio falho dizer que aqui no brasil não funcionaria, talvez para isso devemos ao menos tentar, pessoas com boas intenções existem no mundo todo! fica aqui a minha pergunta a todos vocês que comentaram dizendo que isto não funcionaria aqui, se o site fosse para vocês, vocês dariam um presente em troca? acredito que todos vão dizer que sim, se for assim já temos uma esperança.

    abraços a todos!

  12. diego disse:

    muito interessante a ideia! Só não tenho toda essa fé no nosso mercado do brasil. aqui neguim te dá o cano e sai rindo… ou então desiste pouco antes de implantar o projeto e rouba sua ideia…

  13. wILLIAN disse:

    bom, acho eu se não mudarmos nosso tipo de pensamento, não vamos saber se vale a pena, se não pensarmos como pais de primeiro mundo, vamos continuar pessoas de terceiro, o que da pra fazer é tentar, a cada seis trabalhos, o SÉTIMO apresenta-se essa opção e em um ano debatemos.
    O que acham ???