Cobogó Atoll

cobogó atoll editada

 

A Solarium Pisos e Revestimentos é um grupo industrial nacional que atua desde 1997 no mercado de revestimentos cimentícios artesanais, refratários e ecologicamente corretos. Conta com sedes em Porto Alegre/RS, São Bernardo do Campo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Brasília/DF e Recife/PE e cerca de 150 funcionários. Pioneira em revestimentos à base de concreto de alto desempenho e ganhadora de três prêmios iF Design Award,  a empresa investe no talento de designers nacionais e tem linhas com formatos e acabamentos exclusivos, inclusive reconhecidos por prêmios de design de relevância nacional e internacional.

O Cobogó Atoll

O Cobogó Atoll foi desenvolvido pela designer Renata Rubim para a empresa Solarium Pisos e Revestimentos para atender uma necessidade percebida pela empresa: ter em sua linha um produto vazado, atendendo assim a uma demanda atual do mercado. Quando a designer recebeu a solicitação, decidiu partir para uma linguagem orgânica que respeitasse os limites técnicos possíveis de engenharia do produto e da natureza da matéria prima utilizada.

Sempre ligada nas tendências do setor, a Solarium percebeu que deveria investir novamente em  inovação. A escolha de Renata Rubim para a realização do projeto se deu pelo conhecimento da designer em cimentício, além do fato de ela já ter um histórico de projetos de sucesso junto à empresa. Renata conta que ao pensar no projeto, tinha interesse em formas de seixos de rio e em alguns tipos de pedra que vinha utilizando em projetos de outras superfícies, como tecidos, papéis e em revestimentos.

Coincidentemente, o cobogó – denominação dada a elementos vazados, normalmente feitos em cimento, que completam paredes e muros para possibilitar maior ventilação – estava ensaiando um retorno marcante no cenário da arquitetura no Brasil. Depois do um apogeu nas décadas de 50 e 60, o elemento tinha sido deixado de lado, tendo voltado recentemente como uma forte tendência.

 

cobogó branco casa cor BH 2013- Bilheteria - Junior Piacesi (3)

 

De acordo com a presidente da Solarium, Ana Cristina de Souza Gomes, o maior desafio do processo foi desenvolver uma forma para fazer o produto. “Sentimos desde o começo do projeto que este produto estaria em alta, e acertamos”, conta Ana Cristina.O processo todo durou cerca de um ano. No desenvolvimento do cobogó Luna, a presidente da Solarium conta que a equipe envolvida enfrentou o desafio de conseguir um material para desenvolver a forma, que era muito complexa. Mas no final das contas, o produto foi tão bem sucedido que a tecnologia  foi incorporada para outros produtos fabricados pela empresa. Para Ana Cristina, a vantagem do investimento em cogobós foi além das vendas: “Eles lançaram o olhar da mídia para a Solarium, o que sempre é muito interessante”, explica.

Mantendo a beleza da criação original, a Linha Atoll vem como uma inovação em cobogós. O cobogó é uma invenção brasileira, batizada com a combinação dos nomes de seus criadores: COimbra, BOeckmann e GÓis. Essa invenção está presente em obras de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, bem como de outros grandes arquitetos da metade do século passado. Além disso, a principal matéria prima utilizada pela Solarium é um tipo de concreto refratário especial para pisos, que oferece maior durabilidade em relação a outros materiais como cerâmica e as pedras naturais.

Renata afirma que a Solarium foi pioneira e inovadora em reinserir o produto no mercado. “Nossos concorrentes e outras empresas de produtos similares só o fizeram depois de nós. E aí, sim, o cobogó tornou-se uma tendência com a presença em coleções de todas as empresas do ramo”, conta a designer. Para ela, o designer desempenha um papel parecido com o de “coolhunter” já que tem de estar muito antenado com as necessidades da sociedade em geral.

O case fez com que a Solarium conquistasse um iF Design Award em 2014 – uma das premiações mais renomadas internacionalmente. “Não sei o que influenciou os jurados a escolherem o produto. Penso que em grande parte é pela importância que o mundo – felizmente – está dando a materiais e processos sustentáveis”, afirma Renata.