A capital do estado de Paraná é o grande destaque – Bienal do design brasileiro

Por Christian Ullmann

O tema escolhido para a Bienal 2010 é “Design, Inovação e Sustentabilidade”, que acontece de 14 de setembro a 31 de outubro, em Curitiba (PR). Nessa coluna, apresentamos um resumo das mostras que compõem o evento.

Com o objetivo de democratizar o design, a Bienal dá ênfase em produtos que fazem parte do cotidiano, mostrando que o design e a sustentabilidade são para todos. Uma das grandes inovações desse ano é que a Bienal acontecerá em diversos pontos da cidade, tanto em espaços institucionalizados, como museus e universidades, quanto em locais públicos com alta circulação de pessoas, como os parques. A ideia de ocupar diversos espaços é para fazer a iniciativa “extravasar” pela cidade, interagindo com o espaço urbano, com os moradores e visitantes. Além das mostras, o evento tem na programação seminários, fóruns, workshops, ações educativas, interativas e culturais.

Segundo a curadora geral, Adélia Borges, “o grande tema do momento é a sustentabilidade e o design brasileiro tem excelentes respostas para essa questão, com vários projetos que atendem a definição elaborada em 1987 pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU, de que ‘o desenvolvimento sustentável é aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras de satisfazer as suas próprias necessidades’”.

A Bienal abordará temas da atualidade, sob a ótica da inovação e da sustentabilidade. Assim, sua visitação será essencial para quem quiser estar “antenado” não só no presente, como também nos rumos que o design deve seguir no futuro próximo. 

Professores e alunos de escolas de Curitiba terão uma participação especial: um dos objetivos do evento é ampliar a compreensão do design como ferramenta estratégica para a inovação e sustentabilidade. Para isso, propõe ações educativas que envolvam o público e os projetos apresentados.

“Focando a replicação do conhecimento em sala de aula, vamos utilizar a temática do evento Design, Inovação e Sustentabilidade na capacitação de professores, além de organizar visitas de estudantes aos espaços da exposição”, revela Ana Brum, coordenadora de Projetos do Centro de Design Paraná – organização responsável pela Bienal, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado (Fiep), por meio do Centro Internacional de Inovação (C2I).

Equipes de monitoria acompanharão as visitas guiadas de professores e alunos. “Os profissionais que conduzirão essa ação estarão qualificados para atender esse público específico, utilizando uma linguagem apropriada de acordo com a idade dos visitantes”, explica Ana.

Com uma programação rica, diversificada e para todos os gostos, a Bienal Brasileira de Design é a principal exposição da área e tem como um dos principais objetivos aumentar a percepção consciente da sociedade em geral sobre a importância do design no cotidiano e no desenvolvimento do país. A expectativa da organização é receber 250 mil visitantes, das mais diversas áreas de atuação, e envolver cerca de 500 mil internautas que navegarão pelas exposições virtuais e poderão eleger o produto-destaque da Bienal 2010.

Resumo das mostras

Design, Inovação e Sustentabilidade

A principal mostra da Bienal apresentará um panorama da produção recente do design brasileiro, tendo como eixos condutores a inovação e a sustentabilidade. Cerca de 200 projetos, entre produtos, design de serviços e sistemas produto+serviço, incluindo design gráfico e de embalagens, estarão presentes.

Local: Fiep – Cietep

Caixas Aver – Design: Etel Carmona, São Paulo, SP – Produção: Aver Amazônia, Xapuri, AC

E-board – Design: Vitor Bomfim, Leonardo Uzai, Renata Gonçalves e Eduardo Varela, São Paulo, SP – Empreendimento: Daniel Aranha e Osklen – Produção: SW Boards, São Paulo, SP fotografo OM.art.

Lavadora de alta pressão Facile 1800 – Design: Centro de Design da Electrolux da América Latina, Curitiba, PR – Produção: Electrolux do Brasil, Curitiba, PR Abruzzo Fotografia

PráLimão – Design: Tipo D (Gustavo Jota, Murilo Lana, Marcos Buson e Guilherme Queiroga), Brasília, DF – Produção: Peds, Brasília, DF

Luminária ST5 – Design: Fred Mamede, Ruana Barros e Willames Verçoza, Recife, PE – Produção: Light Design do Brasil, Recife, PE fotografo – Henrique Pontual e Telmo Ximenes

Design Urbano: Uma Trajetória

Nesta exposição o arquiteto, urbanista e administrador público Jaime Lerner pontua algumas das experiências de sua trajetória profissional de quase meio século no que diz respeito a intervenções de design urbano. São projetos elaborados tanto para Curitiba quanto para outras cidades nacionais e internacionais em que ele pôde aplicar seus conceitos de mobilidade, sustentabilidade e identidade. O ponto que une esses diferentes trabalhos é o fato de representarem soluções altamente inovadoras sem precisarem recorrer a orçamentos estratosféricos. Ligeirinho, o programa “Lixo que não é lixo”, Rua portátil e os Dock-Docks, sistema de veículo supercompacto sem propriedade individual, são alguns dos projetos a serem apresentados.

Local: Memorial de Curitiba

Produto Rua portátil – Créditos: Divulgação

Novíssimos

De um lado, a nova geração de designers, que está saindo dos bancos escolares. De outro, os empresários, tantas vezes precisando do frescor de ideias para responder a um mercado em mutação. A exposição Novíssimos vai aproximar esses dois atores, fazendo uma ponte entre oferta e demanda. De móveis a luminárias, de jóias a utensílios domésticos, de máquinas a uma biblioteca itinerante, de sanitário a instrumentos de trabalho, uma visão de produtos concebidos por estudantes de todo o país tendo em vista as necessidades ambientais e sociais da população brasileira. Serão apresentados 53 projetos de produtos, de 12 estados e 27 instituições, reunidos a partir de indicações de professores universitários de todas as regiões do Brasil e, posteriormente, selecionados por um júri composto por Nelson Ivan Petzold, Geraldo Pougy (Centro de Design Paraná), Gisele Leiva do Rio (ADP) e Roger Rieger (ABEDesign). Na seleção final estão participantes do Amazonas, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e DF.

Local: Fiep – Cietep

Ferro de Passar sem Fio – Autora: Rachel de Oliveira Queiroz Silva – Orientador: Wellington Gomes de Medeiros – UFCG – Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB

Sustentabilidade: E eu com isso?

Exposição de cartazes inéditos elaborados em torno da frase/tema “Sustentabilidade: e eu com isso?”. O projeto se vale da força direta e sintética dos cartazes para buscar novos olhares que coloquem em questão e reflitam sobre o termo sustentabilidade, sua conceituação, uso e consequências. Além de 20 peças criadas por artistas visuais e jovens designers convidados, a exposição terá mais 10 feitas por estudantes selecionados em concurso nacional organizado em parceria com o NDesign. A mostra estará em espaços urbanos abertos, num esforço deliberado para chegar a públicos mais amplos do que aqueles que usualmente frequentam exposições. Conjuntos de cartazes serão disponibilizados para instituições que queiram realizar mostras em suas cidades, simultaneamente à Bienal. Informações: (41) 3018-7332/ 3018-7332     

Local: Ambientes urbanos de Curitiba, como Parque Barigüi e Jardim Botânico, e de outras cidades, ainda a serem confirmados.

Bienais de Design: Primórdios de uma ideia

Esta exposição recupera a história das primeiras bienais de design realizadas no Brasil. No Rio de Janeiro, foram três edições da Bienal Internacional de Design, em 1968, 70 e 72, organizadas pelo Instituto de Desenho Industrial (IDI). Em Curitiba, o professor Ivens Fontoura liderou duas edições da Bienal Brasileira de Design, em 1990 e 1992.

Local: Fiep – Cietep

A reinvenção da matéria

Há uma febril movimentação no mundo hoje em torno do que podemos chamar de “reinvenção da matéria”, em que o designer atua não no nível do produto, mas da matéria-prima com que ele é feito. O Brasil reúne condições especiais de liderar esse processo no cenário mundial, pois existem no país dezenas de recursos naturais que ainda não foram suficientemente estudados e utilizados. Além disso, há uma tradição popular no país quanto à reciclagem. Movido pela miséria, o povo brasileiro tinha práticas ecológicas antes mesmo de essa palavra ser incorporada ao dicionário. Esta exposição vai mostrar um panorama desse movimento no Brasil hoje. Seu foco são matérias-primas brutas e sua transformação, por meio da inteligência humana, em objetos sustentáveis.

Local: Museu Oscar Niemeyer

Mostra Internacional – It’s a Small World (Dinamarca)

Como os designers dinamarqueses estão trabalhando temas globais como sustentabilidade, novas tecnologias e consumo? A mostra It’s a small world tem a proposta de responder essa questão, ao apresentar a produção de um país com uma longa tradição na área do design, hoje bastante preocupado com soluções criativas e conscientes para a problemática ambiental. A exposição estreou em Copenhagen no final de 2009, foi para Shangai e agora chega ao Brasil e, reúne num mesmo espaço design, artesanato e arquitetura.

Local: Fiep – Cietep

Memória do Design no Paraná

Cinco designers paranaenses estão sendo objeto de pesquisa realizada pela Universidade Positivo. O projeto “Memória do Design no Paraná: Entrevista Coletiva” visa a resgatar, por meio de entrevistas reunidas em livro e DVD, a história e o trabalho dos profissionais pioneiros no design do Paraná. Foram selecionados profissionais com atuação marcante no período de 1960 a 1980 no Paraná. A seleção procurou levar em consideração a atuação em duas áreas: a programação visual e o desenho industrial. Os nomes são: Guilherme Bender, Jorge de Menezes, Ronaldo Rego Leão, Manoel Coelho, Rubens de Palma Sanchotene.

Local: Universidade Positivo

Memória da Indústria: O caso da CIMO

A exposição tem como tema a experiência da Móveis Cimo S.A., criada em Rio Negrinho, SC, nos anos 1920, que posteriormente se estendeu ao Paraná. O empreendimento foi um dos marcos divisores entre a herança artesanal e o início da produção seriada no Brasil, e existiu até os anos 1970. Maior indústria de móveis do país, seus produtos estiveram em salas de aula, repartições públicas, escritórios, casas, auditórios e cinemas do Brasil e da América Latina, e ainda hoje estão vivos na memória das pessoas, reconhecidos por suas qualidades de resistência, durabilidade, beleza e conforto. A mostra trará documentos e fotos de época e cerca de 40 peças originais de mobiliário.

Local: Fiep – Cietep

Para os que ficaram curiosos em conhecer mais da Bienal e estão fora da cidade de Curitiba, é possível o acesso a todas as informações, mostras e eventos pelo site www.bienalbrasileiradedesign.com.br.

Ficha Técnica

Coordenação Geral: Centro de Design Paraná

Curadoria Geral: Adélia Borges

Curadores dos Módulos: André Stolarski, Angélica Santi, Freddy Van Camp, Ivens Fontoura, Jaime Lerner, Renato Bertão, Antonio Razera Neto, Rico Lins, Tina Midtgaard (Danish Design Centre), Karen Kjærgaard (Danish Crafts) e Kjersti Wikstrøm (Danish Architecture Centre)

Produção Executiva: Arte 3 – Ana Helena Curti

Projeto de Arquitetura: Pedro Mendes da Rocha

Design Gráfico: Oswaldo Miranda (Miran) e Oscar Reinstein

Serviço:

O quê: Bienal Brasileira de Design 2010 – Curitiba

Quando: 14 de setembro a 31 de outubro

Locais: Centro Integrado dos Empresários e Trabalhadores do Estado do Paraná (Cietep); Memorial de Curitiba; Museu Oscar Niemeyer; Universidade Positivo; Jardim Botânico; Parque Barigui; Sebrae Paraná

Patrocínio: FIAT, Santander, Natura e Electrolux

Iniciativa: MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), MINC (Ministério da Cultura), MBC (Movimento Brasil Competitivo)

Realização: Centro de Design Paraná e Sistema FIEP, por meio do Centro Internacional de Inovação (C2i).   

Co-patrocínio: Sebrae, ABDI, BNDES, MCT

Co-realização: Prefeitura Municipal de Curitiba e Universidade Positivo