A CeBIT e o iF Design

Por Editor DesignBrasil

Este ano o Brasil esteve em evidência em Hannover, cidade que abriga a feira. Éramos o “País Parceiro” desta edição, estando presente em banners por toda a feira e pela cidade. Havia também um grande stand do Brasil com empresas principalmente da área de software, além da Embraer e Petrobras. Estivemos por lá para ver dois produtos com design Questto|Nó que estavam sendo apresentados, um Modem para redes por fibra ótica da PadTec e outro para redes WiMax, da WXBR. Passamos pelo stand do Brasil logo depois da visita da Presidente Dilma Rousseff, que apresentou à Chanceler Alemã Angela Merkel o que o Brasil tinha em termos de tecnologia. Pelo que constatamos conversando com as empresas brasileiras que estiveram por lá, o resultado foi positivo. Quanto aos produtos em geral, a impressão que ficou é que a Cebit está mudando seu perfil. Cada vez mais o foco é na área de tecnologia da informação apenas, com soluções para governos e grandes empresas. Na edições da feira que visitamos em outras ocasiões, havia muito mais referências para serem analizadas quando falamos de produtos e suas estratégias. Minha impressão é que este tipo de produto está cada vez mas presente na IFA em Berlim, que uma feira mais ligada ao consumidor final. O próprio prêmio iF Design, que por ser na Cebit já deixava claro uma das vocações da feira, este ano teve o evento de premiação adiantado em um mês, sendo feito na Munich Design Week em fevereiro.

Falando então do iF, este ano a exposição deixou de ocupar o espaço original que ele dispunha, um belo prédio no centro da Hannover Messe e se mudou para um dos grandes Halls que há por lá. Por um lado perdeu o charme, pois o novo endereço é basicamente um galpão, mas ganhou muito em espaço. Na verdade não tenho certeza que a mudança foi neste ano, mas na última edição que estivemos por lá ainda era no Hall central. O que pudemos perceber nos produtos foi o acabamento superficial levado ao extremo requinte. Superfícies com texturas 3D, muito IMD (In-Molding Decoration), com temas muito bem trabalhados e os invariáveis produtos alemães com uma qualidade de fabricação que nós no Brasil ficamos nos perguntando como eles são capazes de fazer. Entre os destaques, acho legal citar entre os premiados brasileiros o Livro Branco da TroyArt, os inúmeros acessórios para iPads e Iphone cada vez mais criativos e uma tendência para uso de texturas de madeira em produtos eletrônicos. Na feira mesmo, nada de muito excepcional. Muitas coisas interessantes no pavilhão cujo tema é Inovação e Pesquisa, que realmente tem soluções criativas mas que normalmente são produto de estudo de universidades européias. Bom prá eles, que tem uma produção acadêmica incrível e que é totalmente conectada à indústria européia. Isto é, possivelmente no ano que vem vários conceitos já virarão produtos, com design europeu, fabricados em algum lugar do planeta.

Legenda

1 – Relógio de Ponto Eletrônico da Gertec, com design Questto|Nó; 2 – Livro Branco da Troyart – Brasil; 3 – Equipamento de laboratório da Sartorius; 4 – Detalhe da entrada de ar do conceito da Smart; 5 – Novos conceitos de tênis esportivos; 6 – Facas em chapa estampada; 7 – Painéis dos caminhões Agrale, com design Questto|Nó, ao lado de Mercedes-Benz, John Deere e outras; 8 – Detalhe de estrutura metálica de poltrona