A globalização e seu impacto no design

Por Ellen Kiss

A análise dos aspectos que envolvem este fato bem como as tendências que se originam da globalização são essenciais para o gerenciamento de marcas e do design de uma forma efetiva.

A globalização é um fenômeno polêmico que, embora não pareça, afeta cada pessoa em todo o mundo. Sofrem o efeito deste irreversível acontecimento desde uma dona de casa, que passa a ter mais opções de compra no supermercado local, até o CEO de uma empresa, que exporta produtos para diversos paises. O mesmo pode ser definido de diversas maneiras e suas conseqüências serem positivas ou negativas, dependendo do foco de análise.

Design é uma das muitas áreas de conhecimento diretamente afetadas. A análise dos aspectos que envolvem este fato bem como as tendências que se originam da globalização são essenciais para o gerenciamento de marcas e do design de uma forma efetiva.

Sob o ponto de vista das grande corporações, a globalização possibilita desde a ampliação da base de vendas para diversos paises até a transferência de capital, produtos e conhecimento entre as subsidiárias espalhadas pelo mundo. A produção mundial em diversas indústrias automobilística, produtos eletrônicos, químicos, farmacêuticos e petróleo é praticamente dominada por empresas multinacionais. Em função da globalização empresas sediadas em paises com população relativamente pequenas, como a Suíça ou o Canadá, figuram entre as principais multinacionais globais.

No entanto, ativistas acreditam que a globalização cria riqueza somente para a elite que se beneficia de fusões, aquisições, tecnologias globais e atividades financeiras. Alguns autores afirmam que todos os tipos de empresas multinacionais se beneficiam escapando de restrições locais em suas atividades. Através da grande habilidade para mover suas operações e seu capital ao redor do mundo, as empresas podem escolher sob quais leis terão melhores benefícios, além de ter grande influência no governo de alguns paises.

Porém existe um aspecto de concordância geral: o mundo não é o mesmo de 20 anos atrás. Somos todos interdependentes, tanto como pais, indústria ou empresa. A transferência de serviços, produtos, capital e conhecimento estão aumentando e consequentemente ampliando a dependência econômica entre países.

Impacto da globalização no Design

 

Considerando que Design Management visa a implementação efetiva do design para atender aos objetivos estratégicos da empresa, a globalização tende a intensificar o impacto da disciplina, uma vez que estes mesmos objetivos se tornarão globais. As diversas previsões existentes para esta área revelam alguns desafios, tanto sob o ponto de vista das corporações como das prestadoras de serviços de design:

 

I. Agências globais objetivando atender aos clientes globais, empresas de design possivelmente terão que desenvolver novas estratégias de atendimento. Conforme as corporações se tornam globais, geralmente buscam alguns fornecedores capazes de atender suas necessidades de maneira consistente e coordenada nos diversos países em que a ela se encontra. Empresas em diferente setores estão comprando serviços globalmente integrados em diversas áreas: transporte, financeiro, tecnologia, telecomunicação, propaganda, etc. Pode-se esperar que o design seja gerenciado desta mesma forma. Dentro deste cenário, empresas de design poderiam explorar esta oportunidade e considerar redes de contato internacionais, possibilitando a entrega de serviços consistentes independente da localização;

II. Competitividade a abertura das barreiras possibilita que agências de design internacionalmente reconhecidas passem a atuar em diferentes mercados, acirrando a competição que antes ocorria somente entre as agências locais. Além disso, o mercado atual é caracterizada pela constante e crescente competição sob as formas de rápida inovação de produtos e serviços, ciclo de vida dos produtos mais curtos, políticas de preço agressivas, grande competência em identificar as necessidades do consumidor/cliente. Estas características tendem a destruir regras ou normas existentes no mercado atual, acirrando ainda mais a competição;

III. Terceirização Alguns anos atrás, terceirização era utilizada somente para a redução de alguns custos internos. Atualmente, o termo significa a transferência de responsabilidade sobre alguns processos para um fornecedor. Este novo pensamento possibilitou que diversos serviços passassem a ser terceirizados. Algumas empresas líderes de mercado focam na sua principal atividade e terceirizam praticamente todo o resto. Apesar de alguns riscos, são inúmeros os benefícios desta política: mão de obra especializada e mais barata, mais qualidade, maior acesso a inovação e novas idéias, menos impostos etc. Dentro deste cenário, design é uma possível disciplina a ser terceirizada globalmente ao invés de localmente. Neste caso, o Brasil passa a ser uma grande potência para terceirização tanto da criação quando da produção (juntamente com Índia e China) em função de sua criatividade e mão de obra relativamente barata.

 

Apesar de todas estas previsões relativamente positivas a partir da globalização, é importante que também sejam considerados fatores culturais (idioma, cultura, valores), atitudes e preferências locais .

É importante ressaltar que estas são previsões a médio-longo prazo que vão além das atuais conseqüências da globalização que já podem ser identificadas atualmente como a presença de vários idiomas na embalagem ou a criação de design para outros mercados. As possibilidades são muitas e ainda incertas, mas acredito que ao longo dos próximos anos veremos algumas destas tendências implementadas.