A integração do design com a indústria de embalagem

Por Fabio Mestriner

O artigo trata do trabalho da ABRE – Associação Brasileira de Embalagens.

Devido à complexidade tecnológica da indústria de embalagem, que processa uma ampla gama de materiais e utiliza variadas técnicas de impressão e rotulagem, a integração do designer que criou a embalagem com a empresa que vai produzi-la é fundamental para o sucesso do projeto. Outro aspecto característico desta atividade é o fato do design ser produzido para ser fabricado numa indústria, mas utilizado na linha de produção de uma outra que fará o envase do produto. Em função disso, o trabalho do designer deve integrar em seu projeto às especificações técnicas destas duas indústrias.

Entendendo a complexidade de sua relação com a indústria e antevendo a oportunidade de obter melhores soluções para seus projetos, um grupo de agências de design se uniu à ABRE formando um Comitê de Design, cujo objetivo é promover a integração do designer com a indústria de embalagem.

O trabalho deste Comitê tem sido coroado de êxito e vem abrindo uma nova perspectiva na relação design/indústria que pode servir de exemplo para outros setores, pois quando trabalham juntos, além de aprofundarem o conhecimento sobre as atividades de cada um, esta integração resulta em benefício ao cliente comum dos dois parceiros no projeto.

A indústria conceitual que propõe o trabalho conjunto foi amplamente compreendida, tanto pelas agências de design, quanto pela indústria de embalagem, e frutificou com os anos de trabalho conjunto.

O primeiro passo deste trabalho foi a promoção de uma série de workshops técnicos, onde a indústria apresentava seus recursos e limitações e discutia com os designers a melhor forma de trabalharem juntos. Para implementar as discussões e a troca de informações, foi criada a Semana ABRE do Design, um evento que, além de uma série de palestras, apresentou uma mostra dos últimos trabalhos realizados pelas agências do Comitê.

Ao ganharem assento no Conselho de Representantes e passarem a acompanhar os trabalhos da ABRE e a discussão de temas da indústria, os designers ampliaram sua compreensão sobre o funcionamento da cadeia que integram, fazendo com que a indústria também compreendesse a contribuição do design para seus negócios. Esta integração e compreensão chegou a tal ponto que a ABRE hoje é presidida por um designer – uma coisa que seria impensável há alguns anos -, pois no início havia uma visão equivocada e muitas vezes antagônica, tanto de parte da indústria como dos designers.

A indústria considerava os designers um grupo de profissionais sem conhecimento técnico que vivia propondo embalagens inexeqüíveis, enquanto que os designers consideravam a indústria reativa a novas idéias e pouco disposta a inovar ou tentar novas possibilidades.

Esta situação mudou bastante e, ainda que subsistam alguns problemas, a visão hoje é outra e as parcerias bem sucedidas vêm mostrando que todos têm a ganhar trabalhando de forma integrada.

Como decorrência do trabalho do Comitê de Design da ABRE mais de 40 agências se associaram e estão participando do processo de integração do design com a indústria de embalagem, ampliando seus conhecimentos e, conseqüentemente, melhorando a qualidade de seus projetos.

Representantes destas agências passaram a atuar no conselho diretivo da entidade, oferecendo sua visão para o aprimoramento das relações na cadeia produtiva da embalagem que se enriqueceu com a incorporação deste importante elo.

Através do design, a indústria passou a ter uma vitrine muito mais expressiva e a criação do Prêmio ABRE de Design, já na sua 5ª edição, criou um ponto de referência e avaliação da produção nacional que tem estimulado o investimento em embalagens out of standard que têm levado o Brasil a conquistar prêmios nos principais concursos internacionais.

Só no ano passado foram mais de 20 embalagens premiadas, a maioria saída do Prêmio ABRE, pois as embalagens vencedoras nesta premiação estão automaticamente credenciadas para concorrer ao World Star da WPO, onde só podem participar embalagens vencedoras em seus países de origem.

A reunião de todas estas agências em torno de dois objetivos, promover a integração do design com a indústria e o desenvolvimento da embalagem em nosso país, propiciou a assinatura de um convênio com o Sebrae destinado a levar o design de alto nível às pequenas empresas que antes não teriam acesso a este serviço especializado. Neste convênio, as agências do Comitê ofereceram uma tabela de preços reduzidos e o Sebrae arcará com 70% do valor do projeto. Assim, estão sendo desenvolvidos cerca de 180 projetos que vão ter forte impacto no desempenho destas pequenas empresas, pois a boa embalagem desencadeia uma série de impulsos positivos que têm reflexos no produto e na empresa como um todo, além de implicações técnicas, econômicas e mercadológicas.

A integração do design com a indústria de embalagem, surgida como idéia conceitual ganhou força na ABRE demonstrando o enorme potencial dessa relação, pois sempre que os elos de uma cadeia produtiva trabalham juntos em seus objetivos, eles, seus clientes e o próprio país têm muito a ganhar.

Tags: