A premência de competências no país para o Design de Sistemas Produto+Serviço

Por Aguinaldo Santos

Uma das estratégias contemporâneas na busca por novos modelos de consumo e produção mais sustentáveis é o Design de Sistemas Produto+Serviço (PSS). Tais sistemas podem ser definidos como resultado de uma estratégia de inovação, redirecionando o foco de negócios do design da mera venda de produtos físicos para a venda de PSSs que são conjuntamente capazes de atender integralmente demandas específicas de clientes. Essa mudança de paradigma favorece a desmaterialização do consumo com possíveis benefícios ambientais, econômicos e sociais para todos os atores sociais (governo, empresas e consumidores) (SANTOS et al, 2014).

Contudo, seu desenvolvimento e implementação requer competências ainda pouco presentes no país, particularmente no que concerne a dimensão do Design de Serviços. De fato, ainda são escassos os cursos de Design que tem o tema em sua grade curricular assim como são escassos os profissionais no mercado com efetiva competência acerca do tema. Tal situação é um paradoxo tendo em vista a majoritária participação de serviços na composição da atividade econômica no país. De fato, a participação do setor de serviços em relação a outras atividades econômicas que compõe o PIB mantém-se acima de 60% na última década.

Quando necessários, os serviços são e serão implantados no mundo real exista ou não um efetivo projeto. De fato, assim como o homem primitivo que da necessidade de cortar, produzia sua faca a partir de fragmentos de rochas, assim uma determinada organização que necessite do provimento de um serviço a seus clientes implantará uma solução, ainda que de forma improvisada. Assim, observa-se muitas vezes que casos de sucesso em serviços tiveram como fatores de sucesso a criatividade e/ou experiência anterior dos funcionários/dirigentes. A utilização de ciclos de tentativa e erro é uma estratégia de desenvolvimento dos serviços bastante comum, porém intrínseco na natureza deste processo está o risco de resultar em serviços ineficientes e com baixo valor agregado. Sob o ponto de vista da sustentabilidade a ausência de um processo efetivo de Design dos Serviços pode resultar na perda da oportunidade de se obter maior desmaterialização do consumo ou, até mesmo, em efeito colateral (rebound effect) com o aumento do impacto ambiental em função em decorrência da implantação do serviço (Santos e Costa, 2014).

Para a superação do gargalo que constitui a ausência de competências no país é premente promover a melhor compreensão quanto às implicações estratégicas dos novos modelos de negócio associados a serviços, as novas competências requerida dos recursos humanos, as novas relações empresa-mercado, as adequações  requeridas na gestão do desenvolvimento de produtos/serviços. Assim, no âmbito das universidades a contribuição para este desafio é indelével e implica em fomentar o ensino, a pesquisa e a extensão acerca do tema de forma a preparar profissionais para o contexto de uma realidade pós-industrial onde serviços tem maior proeminência econômica. No âmbito do Núcleo de Design & Sustentabilidade da UFPR  o tema vem sendo investigado através de projetos em parceria com organizações de diversos setores, como exemplificado a seguir:

  • 2005-2007 (Volkswagen + Embrart): conceito de de PSS orientado à “proteção de conteúdo” em substituição à venda de embalagens para a empresa;
  • 2008-2010 (Globusiness): PSS com foco no “trabalho remoto”, onde o usuário não é proprietário dos artefatos à sua volta, buscando o resultado final de sua unidade de satisfação (neste caso, “espaço de trabalho”);
  • 2010-2013 (Tigre): PSS para coleta de água de chuva voltado à habitação de interesse social” (MCT/CNPq/CT-HIDRO Nº 021/2009, Projeto nº556197/2009-7 e edital PROENG/CAPES  (USP/UFSC/UFPR– 386/2008)
  • 2012-2014 (COHAPAR): PSS para iluminação LED na habitação de interesse social (Edital MCT/FINEP/CT-Transversal – REDE22) (vide: projetoledhis.blogspot.com.br);
  • 2014-2015 (ACCORD/SENAI): PSS para luminárias LED de madeira (Edital de Inovação do SENAI);
  • … (TIGRE): PSS para tratamento biológico aeróbio de lodos ativados (publicação no DOU: seção 3, 28/05/2015,pg-72).

Finalmente, a perspectiva de continuidade de avanço nesta temática é bastante positiva no país, impulsionada pelo crescente interesse da indústria e profissionais no tema. No âmbito da UFPR as contribuições deverão ser também impulsionadas com a participação em projeto de grande porte recentemente aprovado no edital Erasmus+ Programme – Capacity building in higher education – Call EAC/A04/2014 – Selection Year 2015). O projeto trata da implementação da LENSIN (Learning Network on Sustainability – International) (2016-2019) e envolve 15 universidades de todo o mundo, com o objetivo é fomentar o desenvolvimento colaborativo, em plataforma aberta, de conteúdos didáticos acerca do design sustentável, em particular do design de Sistemas Produto+Serviço .

==================

Referências

SANTOS, AGUINALDO DOS ; HUMBERTO, COSTA . Diálogo entre pós-graduação e graduação: a introdução do ensino do design de sistemas produto+serviço na UFPR. Projética, v. 5, p. 243-255, 2014.

SANTOS, Aguinaldo dos ; SAMPAIO, C. P. ; SILVA, J. S. G. ; COSTA JR., J. Assessing the use of Product-Service Systems as a strategy to foster sustainability in an emerging context. Product (IGDP), v. 12, p. 99-113, 2014.