Brasil está entre os primeiros

Por Editor DesignBrasil

“O mercado está vendo como bilhões de dólares estão sendo investidos em novas empresas do segmento de energias renováveis em várias partes do mundo, espaço em que o Brasil está ganhando várias fatias deste mercado”.

Nos próximos anos, teremos que lidar com a perspectiva de esgotamento de alguns dos recursos naturais não renováveis, bem como de escassez de recursos naturais renováveis. Este novo contexto global exige uma maneira diferente de pensar e agir. À sombra do aquecimento global está surgindo uma nova economia, que está mudando a vida empresarial, estimulando a criação de negócios e atraindo investidores.

Não estamos falando somente de um cenário de restrições. Os riscos apresentados estão abrindo um novo caminho de oportunidades de negócios. O mercado está vendo como bilhões de dólares estão sendo investidos em novas empresas do segmento de energias renováveis em várias partes do mundo, espaço em que o Brasil está ganhando várias fatias deste mercado.

Na esfera empresarial, o conceito de sustentabilidade se apóia nos aspectos ambiental, social e econômico-financeiro. E isto deve ser visto como uma oportunidade de negócio, passando a fazer parte do centro da estratégia das companhias. As que estão ocupando estes novos espaços garantem vantagem competitiva. O aquecimento global representa fonte de inovação, vantagem competitiva e novos negócios.

Dentro deste novo contexto existem designers, universidades, instituições e empresas que procuram conquistar estas novas vantagens competitivas. Cito como exemplo os projetos desenvolvidos pelo Núcleo de Design & Sustentabilidade da Universidade Federal do Estado de Paraná – NDS UFPR.

Como o mesmo NDS define: O design é uma atividade que, por natureza, busca o bem estar do ser humano e do ambiente em que ele vive levando em conta a sobrevivência econômica das empresas. Este também é o desafio da sustentabilidade, que procura encontrar formas de atender as necessidades da sociedade atual sem comprometer o futuro das próximas gerações.

No momento em que a preocupação social e ambiental multiplica seus adeptos, é oportuno discutir e validar conceitos e experiências, e por este motivo que o Núcleo de Design & Sustentabilidade realizou o I Simpósio Internacional de Design & Sustentabilidade em paralelo ao I Simpósio Brasileiro de Design e Sustentabilidade durante os dias 4, 5 e 6 de setembro.
O evento, pioneiro no Brasil nesta área, foi organizado pela Universidade Federal do Paraná por meio do NDS e da Rede Paranaense de Metrologia e Ensaios. O Programa Brasileiro de Design e o Portal Design Brasil apoiaram o evento e no dia 5 de setembro coordenaram a mesa redonda com o tema Agenda Nacional para o Design Sustentável. No dia 6 de setembro, a FIEP e a Rede Paraná Metrologia coordenaram a mesa redonda Certificação ambiental e social de produtos.

O simpósio contou com conferências de nomes como Ezio Manzini e Carlo Vezzoli, ambos professores do Politécnico de Milão, na Itália; Jenz Grosshanz, da Köln International School of Design, de Colônia, na Alemanha; este colunista, que é consultor de design sustentável atuante no Brasil; Eugênio Andrés Diaz Merino, da Universidade Federal de Santa Catarina; Martin Charter, da University College for the Creative Arts, da Inglaterra; Arnold Tukker, que dentre uma série de atividades é membro do conselho editorial do Journal for Sustainable Product Design e da Score! Network e Alejandro Espinosa, Gerente Comercial Corporativo da Masisa Chile.

O evento teve a realização da Universidade Federal do Paraná e do Núcleo de Design & Sustentabilidade, em parceria com a Paraná Metrologia, Sistema Fiep e Unindus, com apoio da AEND-Brasil, Finep, Capes, CNPq e Score! Network. A programação do evento se completou com sessões técnicas, workshops e entre os eventos paralelos foi realizada uma mostra apresentando os resultados dos projetos desenvolvidos pelo Núcleo em parceria com as empresas Embrart, Forplas Fábrica de Escadas Ltda., Guará Design, Ideograma, Lojas MM, Masisa Brasil, Nani Carvalho, Placa Centro, Plano de Luz Iluminação, Plataforma Design e Volkswagen do Brasil S/A. A mostra aconteceu no Shopping Estação da cidade de Curitiba, de 03 a 17 de setembro.

Esta proximidade entre academia, pesquisa, instituições, empresas e mercado está criando novos modelos de aprendizado e transferência de conhecimentos, representantes da sociedade trabalhando juntos para o desenvolvimento e disseminação de conhecimento sobre design sustentável.
Desde sua fundação, em 2003, o NDS é coordenado pelo Prof. Dr. Aguinaldo dos Santos, tem convênios com instituições internacionais de renome como o Politécnico de Milão e Score! Network, programa europeu de intercambio de pesquisa em consumo sustentável.

O NDS vem crescendo ano a ano tanto quanto o volume de suas atividades e o número de pesquisadores. Pesquisadores de vários departamentos da UFPR e de outras universidades têm a oportunidade de desenvolver pesquisas em design sustentável em um ambiente altamente colaborativo. Em 2006, passou a ser um dos laboratórios de apoio ao Programa de Pós-Graduação em Design da UFPR o qual oferta o primeiro Mestrado em Design no Sul do Brasil. O Núcleo objetiva tornar-se um centro de referência internacional no tema até 2010.

O modelo que o Núcleo implantou foi desenvolvido para acompanhar os múltiplos fatores que hoje são necessários para desenvolver um produto que atenda as reais necessidades dos usuários. Os produtos deixaram de ser artefatos isolados. Hoje, a produção objetual pertence a um grande e complexo sistema que tem que se relacionar com o entorno.

Dentro do Núcleo existe espaço para debater as diversas dimensões de atuação do design, abordando não só a visão tradicional, mas a discussão estratégias que promovam estilos de vida na sociedade de consumo que favoreçam a sustentabilidade.

Por isso podemos afirmar que, na vanguarda da sustentabilidade, o Brasil está entre os primeiros.

Tags: