Claudia Ishikawa

Por Editor DesignBrasil

“Acreditamos que os empresários e os profissionais têm a possibilidade de conhecer novas experiências e informações para que possam replicar e até mesmo mudar os seus negócios”

Fundado em 1999, em Curitiba (PR), o Centro de Design Paraná (CDPR) é uma organização sem fins lucrativos, cuja missão é contribuir para o desenvolvimento sustentável e para a excelência da industria brasileira. É o primeiro centro de design instituído no Brasil que orientou sua atuação a partir das necessidades do empresariado. Direciona suas atividades prioritariamente para três tipos de serviços: inteligência em design; desenvolvimento de ações em design; e a realização de eventos de educação e formação.
Um desses eventos é o Design To Business, seminário que desde o início da década traz para o Brasil convidados internacionais, geralmente para duas palestras: uma para empresários e profissionais; outra dirigida a estudantes. O evento, que já viabilizou a vinda ao Brasil de nomes como Jane Pritchard, então designer manager da IDEO de Londres, chega à 12ª edição. O tema é Design de Serviços e a atração é Oliver King, do escritório britânico Engine.
Para falar do evento, o DesignBrasil entrevista a designer Claudia Ishikawa, da equipe técnica da instituição. Ela fala ainda de outras atividades coordenadas pelo Centro de Design Paraná, como o Programa Design Excellence Brazil, entre outros.
Confira a entrevista.DesignBrasil O Design To Business chega à 12ª edição, sempre com palestras para empresários e profissionais (e outra para estudantes) e com convidados do exterior. Por que o seminário foi idealizado com esse formato? Claudia Ishikawa Para disseminar a cultura do design para os empresários brasileiros, levando a eles referências internacionais que apresentem experiências bem-sucedidas do uso do design como ferramenta de inovação e de diferenciação. Este é o objetivo do seminário. O formato foi escolhido para que empresários, profissionais e estudantes pudessem conhecer estas experiências. E por serem públicos com objetivos diferentes, a escolha foi realizar duas palestras específicas – uma para os empresários e outra para os estudantes. Os empresários assistem à palestra no período da manhã, com um café da manhã ou seguida de um almoço, para não atrapalhar seus negócios, e os estudantes assistem à palestra no período da noite numa universidade local. DesignBrasil Entre as 11 edições, seria possível citar algumas que tiveram a repercussão esperada junto aos público-alvos de interesse do evento?

Claudia Ishikawa Todas as edições tiveram grande repercussão para o nosso principal público-alvo – os empresários. E é claro que há grande interesse dos profissionais e estudantes de design nos temas que são abordados nas palestras. Procuramos trazer renomados designers e empresários para contar e compartilhar um pouco da sua experiência. Podemos dizer que o evento com a Jane Pritchard, da IDEO, foi um grande sucesso de público. E esse tamanho sucesso nos possibilitou a vinda em duas edições. Outro grande sucesso foi a vinda do designer Lars Engmann, diretor da IKEA. Não podemos deixar de citar convidados como Bruce Wood, Martino Zanotta, Massimo Morozzi, Martin Darbyshire, Paul Priestman e Mechele Popcorn.DesignBrasil Por que a opção pelo tema design de serviços nesta 12ª edição?

Claudia Ishikawa Procuramos trazer temas que possam interessar aos empresários brasileiros e que possam ajudar em seus negócios. A especialidade design de serviços vem sendo muito utilizada nos Estados Unidos e na Europa por ajudar as empresas a desenvolver e a oferecer serviços de qualidade ao consumidor. Foi com esse intuito que escolhemos a consultoria Engine para falar como as empresas do exterior estão utilizando o design de serviços em seus negócios. E colocar esse tema em pauta é mostrar como outras empresas já adotaram o conceito do design de serviços em seus negócios.

DesignBrasil Como chegaram ao nome do designer britânico Oliver King, palestrante desta edição?

Claudia Ishikawa Sempre buscamos nomes de notório saber nos temas que temos interesse em abordar no seminário D2B e a nossa colaboradora Gisele Raulik Murphy, que atualmente mora no Reino Unido, indicou o designer britânico Oliver King (foto), co-fundador e diretor da consultoria Engine.DesignBrasil De que modo o contato com palestrantes desse nível tem inspirado empresários e (futuros) profissionais dentro das perspectivas traçadas pelo evento?

Claudia Ishikawa O evento tem por objetivo trazer referências internacionais com o intuito de apresentar aos empresários, profissionais e estudantes experiências bem-sucedidas do uso do design como ferramenta de inovação. Nesse contexto, acreditamos que os empresários e os profissionais têm a possibilidade de conhecer novas experiências e informações para que possam replicar e até mesmo mudar os seus negócios.

DesignBrasil Os convidados estrangeiros são nomes que normalmente vêm pela primeira vez no Brasil, como, por exemplo, Lars Engman, diretor de design da IKEA. Em geral, como eles recebem esse convite para falarem ao público brasileiro? Entre todos os convidados, há algum que tenha mantido laços posteriores com o design nacional?

Claudia Ishikawa Sim, a maior parte dos palestrantes do Design to Business vieram ao Brasil pela primeira vez para o seminário. Os convidados são receptivos em vir realizar palestras no Brasil. Eles têm muito interesse no mercado brasileiro e a possibilidade de vir ao Brasil abre um importante e estratégico canal contato. Muitos palestrantes mantiveram laços com o Brasil, não necessariamente com o design brasileiro, mas com as empresas brasileiras. O palestrante Bruce Wood, da primeira edição do seminário em março de 2000, veio ao Brasil apresentar o projeto escocês Glasgow Collection e este projeto serviu de base para o programa Criação Paraná e o Bruce Wood foi o principal colaborador do Centro de Design no desenvolvimento do programa. Outro exemplo foi o designer Paul Priestman, que realizou um projeto para Embraer após visita agendada pelo Centro de Design. A empresa Positivo Informática contratou o escritório IDEO para desenvolver um produto brasileiro para classes C e D após a vinda deles ao Brasil. Esse contato dos palestrantes com as empresas brasileiras são muito atraentes pelo ponto de vista do negócio.

DesignBrasil A 12ª edição do Design to Business marca os 10 anos de fundação do Centro de Design Paraná. Como surgiu a instituição, qual sua missão e quais foram os principais projetos desenvolvidos ao longo desses dez anos?

Claudia Ishikawa A missão do Centro de Design Paraná é contribuir para o desenvolvimento sustentável e para a excelência da industria brasileira, por meio de pesquisa e disseminação do design e de novos conhecimentos. Para alcançar a missão, desenvolvemos ao longo de dez anos projetos e programas que contribuíssem para o desenvolvimento da indústria brasileira através do uso do design como ferramenta de inovação e como diferencial competitivo. Posso destacar o programa Criação Paraná, realizado em duas edições (2002 e 2005), em que o Centro de Design ajudou 83 empresas brasileiras interessadas em desenvolver produtos inovadores e de bom design.

Foto: O adaptador para capacetes e abafadores auriculares, desenvolvido pela empresa Tecmater, de Pinhais (PR), foi desenvolvido com o apoio do Centro de Design Paraná, por intermédio do Programa Criação Paraná 2005. Mais tarde, o produto seria premiado no IF Design Awards, em Hannover. DesignBrasil Entre os resultados positivos alcançados ao longo desses 10 anos, quais o Centro de Design identifica como os mais bem sucedidos dentro do cenário do design paranaense e brasileiro?

Claudia Ishikawa O Criação Paraná, sem dúvida, foi um grande programa de design brasileiro. O portal DesignBrasil é outro projeto de grande visibilidade. Com o objetivo de unir informações sobre o design brasileiro, tornou-se o portal nacional de design. Outro grande programa coordenado pelo Centro de Design é o Design Excellence Brazil, que tem por objetivo promover o reconhecimento internacional do design de produtos desenvolvidos no país através da participação no prêmio iF Design Award.

DesignBrasil O Centro de Design Paraná faz a gestão atual do programa Design Excellence Brazil. Quais as vantagens, para os designers e empresários, de participar do programa?

Claudia Ishikawa O programa visa apoiar logística e financeiramente empresas brasileiras na participação do iF Design Award, prêmio de maior relevância do mercado europeu. O programa também auxilia na divulgação dos premiados, tanto nas exposições e publicações do iF Design Award como na mídia nacional e internacional.

DesignBrasil Qual o balanço da participação brasileira no programa nas últimas edições que tiveram gestão do Centro de Design Paraná?

Claudia Ishikawa A participação brasileira vem crescendo a cada ano, e isso demonstra a maturidade das empresas brasileiras, a importância do design como um diferencial competitivo dos seus negócios. E as duas edições coordenadas pelo Centro de Design Paraná mostrou que ter um selo internacional de um prêmio considerado o Oscar do Design é relevante e um diferencial para os seus negócios. Em 2008 o Design Excellence Brazil registrou 225 inscrições de produtos brasileiros para participar do IF Product Design Award. Destes, o programa apoiou 100 produtos e 18 produtos foram premiados e em 2009 foram 472 inscrições de produtos e projetos, totalizando 23 premiados no IF Product Design Award e no IF Concept Design Award. Os números comprovam a importância do design nas empresas brasileiras como um diferencial num mercado globalizado e altamente competitivo.

Tags: