Delinquência e sustentabilidade

Por Christian Ullmann

“Design contra o crime é uma abordagem para a inovação social. Pode dar uma contribuição positiva para as questões sociais e ambientais, uma vez que o design contra a criminalidade pode ajudar a tornar o produto com maior longevidade e ou menos desejado para ser roubado”.

Surgiu na Universidade das Artes de Londres no final da década de 90. Nos últimos 10 anos, evoluiu e tomou corpo, conquistando espaço no segmento e abrindo espaço para o design em secretarias de prefeituras e estados, visando colaborar com a melhoria da qualidade social na trama social urbana.
A evolução da sociedade significa, também, o aumento dos problemas sociais. O design multidisciplinar é fundamental para abordar os problemas, incluindo todas as alternativas de concepção do pensamento.
A prevenção da criminalidade é uma ciência. Suas metodologias são muito eficientes para desenvolver um design socialmente responsável, orientado nos problemas reais da sociedade contemporânea. Este modelo, focado no usuário, é desenvolvido por equipes multidisciplinares, criando síntese e informações que ajudam a gerar os projetos aptos para esta finalidade.
A base de dados deste trabalho inclui as características dos usuários, bem como dos delinquentes, que são o foco do trabalho. Design contra a delinquência faz o melhor para evitar o excesso de ênfase na novidade. Utiliza a abordagem do design de serviços como a verdadeira inovação. Inova, portanto, não apenas por ser uma abordagem nova, mas também pela recontextualização das estratégias existentes, ligadas ao pensar e centrada no usuário (design thinking).
Os custos gerados pela criminalidade comprometem a ideia sobre o desenvolvimento sustentável. O crime compromete claramente a capacidade das gerações presentes e futuras de satisfazer suas próprias necessidades. Design contra o crime, portanto, pode dar uma contribuição positiva para as questões sociais e ambientais, uma vez que o design contra a criminalidade pode ajudar a tornar o produto com maior longevidade e ou menos desejado para ser roubado.
Criminalidade está ligada à obsolescência e destruição, onde os bens roubados ou quebrados por vândalos devem ser substituídos mais rapidamente do que era esperado. Está ligado ainda ao seguro e atualização.
Portanto, para o desenvolvimento de produtos contra a criminalidade, precisamos desenhar projetos para sobreviver às pressões sociais do século 21 e para ser parte de um sistema de gestão sustentável, em vez de ser parte da atual cultura de consumo.
Benefícios da adoção de uma prática sustentável centrada no usuário levaram a identificar algumas contribuições para os designers:
. Inovar pensar desde as diferentes questões sociais, para poder obter respostas diferentes.
. Faça design socialmente responsável ou adequado: ou seja, responda às necessidades dos usuário e às necessidades sociais, sendo consciente do impacto dos produtos nos ambientes onde estes serão usados.
. Desenhar a partir das soluções atuais: acrescentar soluções contra a criminalidade, gerando uma evolução responsável das necessidades da sociedade.
. Formar e educar o mercado, em vez seguir o mercado: desenvolver novos produtos e boletins baseados na investigação e observação que podem definir novas demandas e informações para novos mercados.
. Contribuir para criar diferenciação: em mercados saturados, um produto que evidencia a dificuldade para ser roubado ajuda a diferenciar, mantendo a adequação e à finalidade para o usuário sem sobrecarregar as suas necessidades.
Mais informações: www.designagainstcrime.com
 

Tags: