Design automobilístico

Por Editor DesignBrasil

A iniciativa da Fumec de abrir o curso de especialização em Design Automobilístico foi amadurecida através de contatos com profissionais do setor e com designers do centro Stile da Fiat

O surgimento da primeira escola de design no Brasil, a Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI), no Rio de Janeiro, coincide com a chegada a primeira fábrica de automóveis na país, a Volkswagen, em São Paulo. Na época houve quem dissesse que teríamos carros com design brasileiro. Ledo engano os projetos vinham prontos.

Foram precisos quase quarenta anos para que o sonho se tornasse realidade. Hoje a Volkswagen possui o maior departamento de projeto da América Latina, de onde saíram primeiramente o Brasília, depois o Santana, entre vários outros, e mais recentemente inovou ao lançar o Fox.

E a Fiat? Durante anos um pequeno setor de design se ocupava de projetar acessórios, a “tropicalização” dos projetos que aqui chegavam, conforme definição do professor Luiz Severiano Dutra que divide comigo a coordenação do primeiro curso no país de pós-graduação em nível lato sensu em Design Automobilístico, agora oferecido em Belo Horizonte pela Fundação Mineira de Educação e Cultura Fumec.

Fazem alguns anos que este setor na Fiat recebeu novo impulso, quadruplicou seu quadro de pessoal, investiu em novos recursos e conta com a competente coordenação do designer Peter Fassbender, diretor do Centro Stile da empresa.

A iniciativa da Fumec de abrir o curso de especialização em Design Automobilístico foi amadurecida através de contatos com profissionais do setor e com designers do centro Stile da Fiat com os quais já desenvolvemos projetos em parceria (projeto OSA/One Step Ahead – alunos orientados pelos designers da Fiat e por nossos professores), projeto “Árvore da vida” (alunos desenvolvendo técnicas de reciclagem e de confecção de murais com as comunidades circunvizinhas da montadora), dentre outros.

Saber que o setor necessita de profissionais para se integrar em equipes multidisciplinares e saber também que não há curso similar no país motivou a formatação desta pós-graduação.

O apoio da montadora – da qual ainda falta a assinatura do termo de compromisso – se dá através da participação de vários de seus profissionais (designers do centro Stile) enquanto nós, professores do curso, enxergamos a “carência” de mercado em termos de vários nichos, montadoras, fornecedores de autopeças, fornecedores de veículos especiais, protótipos, o que nos levaria a enunciar inúmeras categorias que provavelmente extrapolariam a parcela das montadoras.

O resultado esta aí. Há também a GM, a Ford e várias outras que poderiam com vontade política, é claro seguir os exemplos da Fiat e da Volkswagen.

A história mostra que o país já revelou profissionais como Márcio Piancastelli, designer da Brasília; Luiz Alberto Veiga, gerente do Design da Volkswagen; Raul Pires, que desenhou o Continental GT da Bentley/Inglaterra, onde continua trabalhando, depois de atuar na Skoda; Carlos Pereira de Almeida, durante muitos anos designer da Alfa Romeo, em Arese/Italia; Rino Malzoni, brasileiro que fez o projeto de design do Puma original; Rigoberto Soler, autor do Brasinca 4200 GT/Uirapuru; e Anísio Campos, que desenhou o Carcará, 1º streamliner brasileiro, que bateu o recorde de velocidade brasileiro, na Rio-Santos.

É justamente para despertar e aproveitar essa vocação, prepararando pessoal técnico competente, é que estamos abrindo o curso de especialização em Design Automobilístico.

Tags:

Veja também