Design de Produtos na Área Médica

Por Editor DesignBrasil

Da mesma maneira que a indústria de produtos para a área médica brasileira atinge sua maturidade, também os designers e seus escritórios souberam perceber a necessidade de maior profissionalismo.

* Por Levi Girardi

Um equipamento médico precisa ser bonito?

Este questionamento simplista esconde o maior erro de percepção sobre do que se trata esta palavra que anda na moda ultimamente: o design.

Engana-se quem ainda imagina que o design é apenas ligado à estética de um produto qualquer. Esta atividade multidisciplinar envolve fatores diversos e amplos como o atendimento às solicitações do usuário, adequação às capacidades produtivas do fabricante, posicionamento no mercado, racionalização de processos etc. Não menos importante, o design também resolve o aspecto estético que na área médica – respondendo a pergunta acima – tem a ver com a humanização do ambiente, o respeito ao paciente e a racionalização do trabalho do profissional de saúde.

A indústria brasileira de produtos médicos ainda está num estágio onde oferecer um equipamento que apenas atenda os requisitos mínimos de funcionamento é o suficiente? Garanto que não. Solicitações que não existiam há até 6 ou 7 anos, agora precisam ser atendidas. E o design é uma das grandes ferramentas para isso.

Primeiro, há a consolidação das normas internacionais. Quem fabrica sabe dos requisitos a serem atendidos com relação à segurança, e boas práticas de fabricação e funcionalidade do produto. Assim, um projeto que já nasce levando-se em consideração estes fatores, tornará esta fase muito menos estressante ao fabricante.

Em segundo lugar, há o mercado global. O termo pode ter ficado um pouco desgastado, mas o fato é que todo o esforço para se conseguir certificações internacionais, recursos para participação nestes mercados (feiras, estrutura de exportação, logística, por exemplo), coloca o fabricante apenas dentro do jogo. Isto é, sem isso não é possível sequer participar. Aí entra novamente o design: como criar diferenciais para se destacar num mercado competitivo?

Saindo da área médica e indo para o mercado de consumo, ambiente onde o design já tem seu espaço garantido na estratégia das empresas, vamos olhar para a coqueluche do momento, o player MP3 iPod, da Apple. Toca música como todos os outros, mas tem seu espaço diferenciado no mercado, podendo custar mais que o dobro que o concorrente similar e ainda assim ser um sucesso de vendas. E o consumidor ao adquiri-lo, mesmo pagando mais, tem a certeza de estar levando mais para sua casa (maior valor percebido). Não bastasse isso, a Apple ainda viabilizou com o produto um promissor canal de vendas de música, estremecendo um mercado que usa o mesmo modelo de negócios há mais de meio século.

Portanto, ao se criar diferenciais num equipamento médico, seja por novas funcionalidades, por ocupar menos espaço ou por simplesmente ser mais agradável aos olhos, a competição com o expositor ao lado numa feira já começará favorável para quem tem este produto.

Para completar, da mesma maneira que a indústria de produtos para a área médica brasileira atinge sua maturidade, também os designers e seus escritórios souberam perceber a necessidade de maior profissionalismo. Hoje estão muito mais sintonizados com as necessidades e capacidades dos seus clientes e trabalham para tornar melhores os produtos médicos, somando à capacidade técnica da engenharia dos fabricantes a inovação e criatividade que este tipo de profissional tem.

Projetos para produtos mais racionais, utilizando materiais e processos mais adequados e que atendem os anseios do mercado consumidor. E por que não dizer, mais bonitos!

Nota: Prova que o design chegou de vez aos equipamentos médicos, o Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, mais importante prêmio de design no país, nas últimas edições premiou equipamentos médicos ao lado que produtos de consumo, como luminárias e fogões. E este ano, pela primeira vez um equipamento médico nacional foi premiado no iF Design Award, na Alemanha, um das mais importantes premiações de design no mundo.

* Levi Girardi é diretor da ADP Associação dos Designers de Produto

Tags: