Entrevista: equipe do Curitiba Cidade do Design fala sobre o progresso do projeto

Por Editor DesignBrasil

Julliana Bauer

Lembra dos designers curitibanos que buscavam levar a certificação City of Design para a capital paranaense? No último ano, eles avançaram muito no projeto e, em novembro, terão uma resposta definitiva.

A iniciativa faz parte do programa “Creative Cities” da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), que reúne cidades diferentes para que trabalhem juntas no campo das indústrias criativas. A rede tem então como objetivo desenvolver a cooperação internacional entre estas cidades que perceberam que a criatividade é um fator estratégico para o desenvolvimento sustentável. É possível candidatar cidades em outras categorias, como literatura, cinema, música, artesanato e gastronomia.

Com o título de Cidade do Design, Curitiba passaria a integrar uma rede global de Cidades Criativas, o que possibilitaria a troca de conhecimentos, experiências e melhores práticas com grupos culturais de todo o mundo, além de gerar parcerias com outras cidades que fazem da criatividade um elemento essencial de seu desenvolvimento econômico e social.

Atualmente, a equipe do projeto Curitiba Cidade do Design conta com Bruno Volpi, Thiago Alves, Juliana Mayumi Ogawa, Sergio Pires, Daniele Moraes, Luisiana Paganelli e José Merege. Confira a entrevista que fizemos com a Juliana e com o Bruno sobre as novidades do projeto.

 

ccn_baixa

Bruno Volpi, Thiago Alves, Juliana Mayumi Ogawa, Sergio Pires, Daniele Moraes, Luisiana Paganelli e José Merege

 

Em que etapa está o processo que quer trazer para Curitiba o título de Cidade do Design?

Juliana: O projeto de candidatura foi submetido em março deste ano. Para isso, foi preciso reunir informações significativas sobre os principais ativos da cidade, considerando desde espaços culturais e instituições de ensino e de promoção do design até recursos humanos e talentos criativos.

Quando vocês saberão, de fato, se Curitiba receberá este título?

Juliana: O resultado será divulgado no dia 30 de novembro deste ano, torçam por nós.

Desde a última entrevista, alguma nova instituição passou a apoiar vocês? Quem?

Bruno: Além do contato com inúmeros representantes locais da sociedade civil, que nos ajudaram a mapear iniciativas e potenciais vocações da cidade de Curitiba, recebemos apoio das prefeituras de Buenos Aires, Berlim, Pequim, Seoul, Kobe, Montréal, Saint-Étienne e Santa Fé. Todas estas cidades já fazem parte da rede de Cidades Criativas da UNESCO e endossaram a candidatura de Curitiba com argumentos substanciais. As principais associações profissionais de design nacionais e regionais, a ADP, ABEDESIGN, ADG Brasil e ProDesign>PR também acreditaram na iniciativa, assim como o Ministério das Relações Exteriores, que foi responsável por validar a candidatura em nível nacional.

Apenas Curitiba está se candidatando ou mais alguma cidade brasileira se manifestou?

Juliana: Soubemos que houve uma mobilização na cidade de Salvador para integrar a rede por iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento Turismo e Cultura e que a cidade Florianópolis teria apresentado sua candidatura à rede como Cidade da Gastronomia.

Como a escolha de Curitiba tem sido vista pela comunidade brasileira do design?

Juliana: Considerando o apoio que temos recebido, podemos dizer que a candidatura tem sido bem recebida. É importante ressaltar que esta candidatura representa mais que a busca de um reconhecimento ou de um título. O ponto principal da participação na rede é o reconhecimento do potencial de desenvolvimento sustentável da cidade por meio da criatividade e do design.

Quais têm sido os principais obstáculos neste último ano?

Bruno: Apesar da cadeia produtiva da economia criativa movimentar valores expressivos em nosso país, o mapeamento de agentes, instituições e produção ainda é insuficiente. Muitas iniciativas estão ajudando na análise e consolidação destes números nos últimos anos, porém encontrar dados representativos em todos os núcleos, incluindo design, ainda se mostra um grande desafio. Portanto, ações de iniciativa pública, entidades privadas e de ensino e pesquisa são cada vez mais necessárias para demonstrarmos a força e relevância regional e nacional deste setor.

 

2 Comentários

  1. Eduardo barroso disse:

    Parabéns pela iniciativa. Curitiba merece esse título. Vamos juntos organizar um evento das cidades criativas no próximo ano.

  2. aLCEU CASTELLO BRANCO disse:

    Parabéns curitibanos de hoje e de ontem. com certeza curitiba