Falta visão do todo

Por Editor DesignBrasil

Cada avanço nos equipamentos de informática, som e imagem, precisa ser observado e acompanhado pelos profissionais de desenvolvimento de produtos, especialmente por aqueles que desenvolvem móveis.

Recentemente, em uma palestra para estudantes e profissionais do design em Santa Catarina, perguntaram-me quando iria surgir estantes, racks ou outro tipo de mobiliário para abrigar as Tvs de plasma. Respondi: quando os designers começarem a desenhá-los.
Ao refletir melhor sobre o questionamento, pergunto: por que ainda não o fizeram? A Tv de plasma está no mercado há aproximadamente cinco anos e ninguém duvida que ela deve se popularizar rapidamente, uma vez que seu preço caiu 65% nos últimos dois anos.
Uma das respostas pode estar na forma como os profissionais de design enxergam o mundo a sua volta. Ou seja, com uma visão ensimesmada.
O design não nasce e morre em si mesmo, ao contrário, está diretamente ligado a outras áreas da sociedade, da economia, da psicologia…
Acompanhar muito de perto todos os movimentos da sociedade deve ser uma prática habitual dos profissionais de desenvolvimento. Se o comportamento das pessoas muda, é natural que os produtos também devam mudar.
Se as pessoas ficam mais em casa, em razão do aumento da violência, precisam de móveis mais confortáveis; se as habitações diminuem de tamanho, por conta dos altos preços dos imóveis, os móveis precisam ser menores; se as famílias têm menos filhos, mudam-se as necessidades dentro do lar; se elas recebem mais pessoas em suas casas ou se gostam de cozinhar, por exemplo, são informações que devem influenciar diretamente no desenvolvimento do mobiliário.
Assim também deve ser com a tecnologia. Cada avanço nos equipamentos de informática, som e imagem, precisa ser observado e acompanhado pelos profissionais de desenvolvimento de produtos, especialmente por aqueles que desenvolvem móveis. Afinal, todos estes equipamentos são acomodados em um móvel.
Voltando à Tv de Plasma. A sugestão da Sony no lançamento do produto, quando mostrava a TV pendurada na parede, me parece uma ofensa aos designers de mobiliário. Agora chega a idéia da britânica PictureHouse, que vende uma lareira elétrica (com fogo e tudo) mas que, na verdade, acomoda dentro dela a tela de plasma, e é comandada por um controle remoto.
No entanto, mais importante é que isso representa um sintoma claro de que os setores de eletros, móveis e construção civil não se comunicam. E, por não se comunicarem, chegamos a absurdo de ver, por exemplo, cozinhas com módulos para microondas incompatível com o tamanho dos modelos disponíveis no mercado, estantes cuja profundidade não comporta uma Tv de determinada polegada ou mini-nichos para preencher espaços entre módulos de móveis planejados.
Por fim, volto ao ponto: os designers só vão desenvolver móveis para abrigar Tvs de plasma quando observarem a existência do produto. Ou será que acham que ela fica melhor pendurada na parede ou em cima de uma lareira?

Tags: