Felipe Caroé

Por Editor DesignBrasil

“Achamos fundamental seguir esta ideologia do Mangue, associada à metodologia do Design Social, para despertar nos encontristas a vontade de agir em conjunto com a sociedade”

Designer formado pelo IFPE, antigo Cefet-PE, Felipe Caroé trabalha com branding para web e é o coordenador da Comissão Organizadora do próximo NDesign, que acontece de 18 a 25 de julho, em Pernambuco – a cidade-base é Olinda. De posse da experiência de organizador do I Encontro Estadual de Estudantes de Design de Pernambuco, em 2007, Caroé relata nesta entrevista o que está sendo preparado para a próxima edição do NDesign e os objetivos do encontro.
Confira nesta entrevista para o DesignBrasil, concedida dois meses antes do evento.

DesignBrasil Por que os pernambucanos se sentiram encorajados a abraçar o desafio de receber esta edição do NDesign?Felipe Caroé Ao chegar do NDesign Florianópolis, em 2007, estávamos com todo o gás para organizar o N2009. A ExpoDesign tinha sido realizada meses antes, e alguns de nós foram membros dessa comissão, que contou com estudantes de várias faculdades do estado. Resolvemos aplicar essa vontade de uma maneira construtiva para o Design pernambucano, realizando o primeiro Encontro Estadual de Estudantes de Design, o Édesign Pernambuco 2007. Então, tivemos certeza de que a união de membros de várias cidades, associada à cultura de convergência presente no estado, propiciava a realização de um evento maior e mais abrangente.

DesignBrasil Ao contrário das edições anteriores, esta inova ao realizar atividades não apenas na sede do NDesign, em uma só cidade, mas também em outras do estado. Na prática, como isso irá funcionar? Por que decidiram adotar programação em diversos locais? E quais as principais dificuldades de realizar o evento em lugares tão distintos?

Felipe Caroé Por queremos mostrar aos estudantes do país que em Pernambuco a Cultura é multidirecional, desenvolvemos um projeto que abrange a produção e o ensino de design de todo o estado. Assim, esperamos que a descentralização de atividades ofereça iguais condições aos estudantes e professores pernambucanos para que divulguem seu trabalho, e também permita que os encontristas de outras regiões conheçam mais profundamente nossa variedade cultural. Estamos dividindo as atividades por área. Assim, vamos utilizar os ambientes e equipamentos das faculdades parceiras presentes em algumas regiões do estado (até no interior). Nos horários marcados, haverá uma preparação para a saída dos ônibus fretados pela CONDe. Por causa da dificuldade que é a locomoção, existem limites para a quantidade de pessoas nas atividades externas, mas contamos com um bom organograma e planejamento pra fazer funcionar. Além disso, sempre vamos ter atividades acontecendo na própria AESO, a faculdade-sede do NDesign, em Olinda, pra quem desejar ficar.

DesignBrasil O tema do NDesign Pernambuco 2009 é o design social. Por que o Manguebit é usado como referência para a proposta do encontro?Felipe Caroé O Manguebit é um movimento pernambucano que propõe diversas transformações sociais através da valorização da cultura. Em vez de ser mais um instrumento para o assistencialismo, busca fornecer os meios necessários para que os próprios necessitados mostrem sua condição e construam o que precisam pra mudar. Além disso, é uma referência pernambucana que não fica só aqui. Através do Manguebit, a própria periferia recifense pôde divulgar o que tinha a oferecer para todo o Brasil e várias partes do mundo. É algo que as pessoas reconhecem, e associam a Pernambuco e à vontade de melhorar a sociedade. Achamos fundamental seguir esta ideologia do Mangue, associada à metodologia do Design Social – que pesquisamos e nos informamos com designers do mundo inteiro – para despertar nos encontristas a vontade de agir, adequadamente orientados, em conjunto com a sociedade.

DesignBrasil De que modo a programação pretende explorar a discussão sobre o tema?Felipe Caroé Trabalhamos com um princípio de sintonia: A compreensão da sociedade e suas necessidades sintonizada com o fornecimento do suporte necessário. A partir dessa ideia, planejamos atividades que criem a atmosfera do Design Social, como palestrantes da área, atividades horizontalizadas, visitas técnicas e vivências realizadas com algumas comunidades (em parceria com entidades que já realizem esse trabalho). A proposta é fazer com que as reflexões e ações realizadas no evento se perpetuem para os encontristas e sejam levadas de volta às suas cidades.

DesignBrasil Como serão essas visitas técnicas e essas vivências no NDesign 2009? Tem exemplos de programação já confirmados na agenda?

Felipe Caroé As Visitas Técnicas são uma adaptação de algumas atividades realizadas em outros eventos, nas quais o participante conhece intervenção do design em seus locais de aplicação prática. Gráficas, ateliês, escritórios, entre outros ambientes. No NDesign 2009, além dos tradicionais estúdios e gráficas, algumas visitas serão feitas em comunidades menos privilegiadas que trabalham, por exemplo, com serigrafia, artesanato, ou mesmo a produção sustentável de bolsas e acessórios. Já as Vivências são atividades em que os estudantes são acompanhados até locais importantes para a cultura do estado, onde conhecem sua influência social, sempre relacionada ao tema do evento e, claro, ao design. Alguns exemplos confirmados de Visitas e Vivências que teremos no NDesign 2009 são: o Instituto Ricardo Brennand, o Pátio de São Pedro, o Mercado de São José, além das sedes de algumas entidades como O Centro de Design do Recife e o Centro Pernambucano de Design, e empresas como a Mooz, que é um dos maiores escritórios de design do estado.

DesignBrasil A expectativa é de 3.000 estudantes? O que a organização pretende fazer para oferecer as melhores condições de receptividade e conforto para os inscritos, sejam em termos estruturais para alojamento, sejam para a participação nos eventos?Felipe Caroé Exatamente, cerca de 3.000 estudantes e profissionais. Para receber estes participantes, contamos com a seguinte infraestrutura: o alojamento será no campo da AESO, onde há uma área para camping de aproximadamente 14.000m², suficiente para cerca de 2.000 pessoas. O alojamento conta ainda com banheiros próximos, segurança patrimonial 24h por dia e supervisão de membros da CONDe e monitores. Também fechamos uma parceria com a Easy Brazil, que oferece descontos para pousadas e albergues próximos à sede. Como já foi dito, haverá várias atividades simultâneas, tanto na AESO quanto as externas, com traslado fornecido pela comissão organizadora. Jogos serão realizados pela manhã, logo após a Yoga, pra quem deseja cuidar da saúde durante o evento, sob a tutela de pessoal capacitado.

DesignBrasil A programação cultural e as festas costumam ser uma atração à parte nos NDesigns. O que a organização está preparando para esse encontro?

Felipe Caroé Como tradição em eventos de Design, as festas são temáticas, e no N2009 não vai ser diferente: nossas atividades de integração têm temas que vão desde o Carnaval pernambucano, com atrações típicas do estado, até uma especialmente produzida em homenagem ao Manguebit. Também terão espaço as bandas de estudantes de todo o país, que se apresentarão em vários momentos de descontração durante o evento, geralmente no Ponto de Encontro, ambiente central da sede do evento.

DesignBrasil Um NDesign também atrai muitos docentes e profissionais de design para o debate. Correndo o risco natural de algumas omissões, quais nomes você pode citar como algumas as atrações desta edição?

Felipe Caroé Ainda estamos concluindo as convocações oficiais, mas a maioria já está confirmada. Só falta resolver questões de logística, como passagens e datas. Confirmados, por exemplo, estão Michel Lent, Luli Radfahrer, André Stolarski, Prof. Aurenedes Stephan (Eddy), Bruno Borges, Renata Rubim, Nelson Lopes, Sâmia Batista, Rafael Sales… Logo divulgaremos todos no site, com breves currículos e releases sobre as atividades que irão ministrar no N.

DesignBrasil Quais são as principais novidades na programação de atividades deste N?

Felipe Caroé Para contemplar nosso projeto, desenvolvemos algumas atividades de aproximação com a sociedade: O Ato Público, em que problemas descobertos e/ou discutidos no próprio evento são levados para conhecimento da sociedade; as DR’s, que são Discussões de Relacionamento entre profissões com área de atuação semelhantes; os TA’s, Teoria e Ação, com reflexão e prática sendo colocados lado a lado; Sociedade em Sintonia, carro-chefe do nosso projeto, em que problemas sociais são confrontados pela metodologia do Design; e outros como Feira de Artesanato, Caracterização do local do encontro, etc.

DesignBrasil De que modo eventos como o NDesign contribuem para a conscientização e politização dos participantes para as questões que afetam o dia-a-dia dos estudantes e futuros profissionais de design?

Felipe Caroé Os encontros acadêmicos – nacionais, regionais, e até alguns estaduais – são muito importantes para desenvolver um senso de localização política e humana nos estudantes. Com o contato com pessoas de outros estados, é impossível não realizar análises comparativas, discutir as propriedades sociais e relativas à profissão, entre outras. Podem-se desenvolver ou adaptar projetos que já existem em outros estados, além de compreender a conjuntura nacional com uma visão macro. Existem ainda, nesses eventos, atividades propostas pelos organizadores ou pelos próprios estudantes – oficinas, balaios, reuniões do Conselho Nacional de Estudantes – que visam discutir exatamente as situações de classe, soluções sociais multidisciplinares ou mesmo aquelas parcerias comerciais que podem possuir um caráter de conscientização. Encaramos o Design como uma ferramenta poderosa para influenciar culturalmente a sociedade. É responsabilidade de cada um aprender como utilizá-la de maneira adequada e praticar essa boa influência em escala nacional.

DesignBrasil A Pauta Nacional Unificada desta edição visa “promover a discussão sobre o poder transformador que o estudante tem diante sua universidade”. Na sua visão, quais devem ser os pilares dessa discussão e de que maneira suas conclusões podem ser levadas adiante ao longo da próxima temporada?

Felipe Caroé A Pauta Nacional Unificada – PNU – foi uma grande conquista para os estudantes de design. Orientados pela PNU, terão sempre um norte a seguir em suas reuniões, mas com liberdade para adicionar novos temas para discussão. Para seguir a meta da PNU 2009, os estudantes precisam refletir sobre seu papel na educação, acima de tudo, em conjunto com suas ações. Desenvolvendo um senso crítico, precisamos conhecer a situação em que nossa universidade se encontra em relação ao curso, e nos organizar para que nossas reivindicações não sejam encaradas como individuais. Permitindo-me ser um pouco idealista, por ter experiência de caso acredito que questionamentos como os encontrados na pauta desta edição (sobre entidades de base, plano pedagógico da instituição, entre outros) funcionam como um gatilho para que esta capacidade de criticar e refletir se consolide na mentalidade de cada um. Este também é um método usado pela CONDe Pernambuco para que, ao voltar para suas universidades, os estudantes continuem aplicando seus conhecimentos em prol de seu “mangue”. [Link para edição 2009 da Pauta Nacional Unificada: http://pnu.wikispaces.com/PNU+2009 ].

DesignBrasil De que modo vocês esperam que os estudantes saiam desta edição do N?

Felipe Caroé Nossa proposta é que aquele “gatilho”, que desenvolve um senso crítico e de prática nos estudantes, seja acionado. Após aprender e ter uma vivência de prática durante o evento, os participantes sintam-se em sintonia com o impacto que o design causa na sociedade, e com vontade de utilizar esse impacto, literalmente, para o bem. O estudante vai chegar a sua cidade com uma bagagem cultural surpreendente, comum aos encontros de design, e vai ter as ferramentas e métodos necessários para aplicá-la em qualquer que seja sua área de atuação

Tags: