Guia para Inserção de Parâmetros Ambientais no Design de Móveis de Madeira

Por Christian Ullmann

Durante a realização da edição 2009 do projeto Design & Natureza, nos procurou a designer e professora Kátia Pêgo, com a proposta de desenvolver uma pesquisa com os designers participantes do projeto. O interesse da Kátia era levantar as informações necessárias para o desenvolvimento de sua pesquisa de mestrado em EcoDesign, chamada “Inserção de Parâmetros Ambientais no Design de Produtos”, na UFMG.

O objetivo da pesquisa foi verificar quais e como são inseridos os parâmetros ambientais durante o desenvolvimento de produtos, assim como as principais dificuldades encontradas. O mais gratificante: a pesquisa foi realizada, os designers colaboraram com suas respostas e experiências, o mestrado finalizado e o conteúdo deste já pode ser consultado por todos os designers, estudantes e empresários interessados do setor moveleiro.

Um dos resultados do mestrado foi a publicação em formato de livro, no “Guia para Inserção de Parâmetros Ambientais no Design de Móveis de Madeira”, com prefácio do Prof. Dr. Dijon de Moraes, reitor da UEMG. A Kátia está de parabéns e nós designers temos mais uma publicação de consulta para nossas atividades.

Do livro podemos resumir: segundo Santos (2006), “A natureza dos problemas ambientais é parcialmente atribuída à complexidade dos processos industriais utilizados pelo homem, fazendo uso dos diversos recursos tecnológicos”. Essa constatação trouxe o reconhecimento da necessidade de mudanças na forma de exploração e utilização dos recursos naturais, assim como nas formas de produção, resultando no atual conceito de desenvolvimento visto sob o paradigma da sustentabilidade.

A Agenda 21 cita no capítulo intitulado “Mudança dos padrões de consumo”, que, para se atingir os objetivos de qualidade ambiental e desenvolvimento sustentável “[…] será necessário eficiência na produção […] Em muitos casos, isso irá exigir uma reorientação dos atuais padrões de produção […]”. Essa reorientação vem ocorrendo em diversos setores e áreas do conhecimento, dentre elas o design, por meio da abordagem do ecodesign, que busca o desenvolvimento de produtos com redução dos impactos ambientais durante todo o ciclo de vida.

Neste contexto, o Guia é uma iniciativa que visa a intensificar, ampliar e fomentar as possibilidades de redução dos impactos ambientais gerados no ciclo de vida dos móveis de madeira, ou seja, desde a sua produção e uso, até sua disposição final. Para tanto, apresenta parâmetros ambientais voltados para o setor, sugestões de modos de inserção de tais parâmetros no design de móveis de madeira e uma proposta de inserção frente à metodologia básica de desenvolvimento de produtos.

E segundo comentários da Kátia:

“O objetivo deste material é oferecer uma ferramenta de ecodesign de fácil leitura, aplicação e consulta aos designers. A expectativa é que este livro estimule designers a inserir parâmetros ambientais em seus projetos.”

Kátia Andréa Carvalhaes Pêgo

Possui mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010), especialização em Planejamento e Gestão Ambiental pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (1999) e graduação em Design Industrial pela Universidade do Estado de Minas Gerais (1996). Atualmente é professora na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) com atuação na graduação de Design de Produto, Pós-Graduação de Móveis e Pós-Graduação em Gestão do Design. É autora de livro sobre a inserção de parâmetros ambientais no design de móveis. Foi bolsista CAPES-Reuni (Curso de Design UFMG), participou de projetos de pesquisa financiados pelo CNPq, FAPEMIG, FINEP e MCT. Coordenou o Curso de Pós-Graduação em Design de Móveis da UEMG. Foi professora do curso técnico em design do SENAI. Atuou como consultora de design em indústrias de móveis, no SEBRAE/MG e em escritórios de design. Publicou artigos em congressos científicos de Design, Sustentabilidade e Tecnologia do Ambiente Construído. Desenvolveu mais de 40 produtos industriais, sendo quatro deles com pedido de depósito de Patente e Registro de Desenho Industrial no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), instituição esta que, até o momento, concedeu o Registro de Desenho Industrial de um dos produtos em outubro de 2008.

Maiores informações:Kátia PêgoEmail. [email protected] (31) 9187-0940