Kleber Puchaski

Por Editor DesignBrasil

Kleber Puchaski é PhD em Vehicle Design pelo Royal College of Art (2008), Mestre em Design and Branding Strategy pela Brunel University (2004), ambos na Inglaterra, e é formado em Design de Produtos na PUC-PR (1997). Sua tese apresenta uma solução holística através do ‘pensar design’ a fim de ajudar as empresas a inovar e melhorar o potencial de suas marcas. Atualmente como Diretor da Feel the Future – d.lab lidera equipes multidisciplinares em projetos nacionais e internacionais em desenvolvimento de produtos, serviços e ambientes. Em 2008 co-fundou REACH – The Global Design Research Network juntamente com um grupo de consultores em design atuantes em 11 países. Leciona Design na UFPR e Inovação para o MBA da Universidade Positivo.

DesignBrasil – É verdade que sua tese de doutorado foi a primeira, no mundo, a ser defendida na área de Design de Veículos?
Kleber Puchaski – Sim, é verdade. O Royal College of Art  (RCA) é a única instituição dedicada exclusivamente a pós-graduação em arte e design no mundo. Com mais de 150 de história, somente há cinco anos foi que o departamento de Vehicle Design aceitou o desafio de ter pesquisa em design. O departamento é mundialmente reconhecido como o principal centro formador de designers para atuar na indústria automobilística e tem um alto índice de empregabilidade após a formação (93%). A conclusão de minha pesquisa aconteceu em maio de 2008 e a colação de grau em julho de 2008, no Royal Albert Hall. Em 2009 houve mais dois PhDs formados, sendo mais um brasileiro (professor Osmar Rodrigues da Unesp). Em 2010, esperamos mais um colega brasileiro a se formar (arquiteto Artur Mausbach). Com isso, o Brasil será um pólo do pensamento do design automobilístico. [Veja mais em http://www.show2008.rca.ac.uk/Default.aspx?ContentID=501785&GroupID=501133&].

DesignBrasil – Como foi ter o professor Ari Rocha na banca?
Kleber Puchaski – A história do design automobilístico brasileiro começa com o professor Ari Rocha. Ele estava tão a frente de seu tempo que demorou 40 anos para a indústria assimilar e viabilizar algo que ele visionou no início dos anos 60. Não haveria outra pessoa tão capacitada para poder fazer parte desta banca no RCA. Ao contrario das bancas de mestrado e doutorado no Brasil, na Inglaterra a banca não é aberta ao público e o resultado é comunicado imediatamente após a apresentação e defesa da tese. Na minha banca, além do professor Ari Rocha participaram também a professora Brigite Borja de Mozota, que é referência na área de design management, e, como presidente da mesa, o professor Jeremy Aynsley, que atualmente é o diretor do departamento de pesquisa do RCA. Foram mais de duas horas de discussão depois dos 40 minutos que tive para apresentar os quatro anos de pesquisa. Mais um bom desafio.

DesignBrasil – De acordo com sua tese, intitulada ‘Feel the Future’, apresenta uma solução holística através do “pensar design”. De que modo essa solução contribui para que empresas desenvolvam um ambiente propício para a inovação e melhorem o potencial de suas marcas?
Kleber Puchaski – Nos últimos anos, as empresas passaram por um processo de entendimento da necessidade de inovar. Qualidade, entre outras práticas, não é mais um fator diferencial, mas sim um pré-requisito. Aí entra o design como facilitador para a inovação. A ‘Feel the Future’ discute o design não somente como a tradução gráfica ou física dos atributos da marca, mas sim como uma plataforma de pensamento que permeia todos os níveis da empresa, fazendo o link entre o pensamento lógico e o pensamento criativo. Isso eu chamo de pensamento híbrido. E dessa forma, acredito que o design pode colaborar e servir efetivamente para as empresas. Assim que retornei ao Brasil, algumas empresas demonstraram interesse em aplicar a metodologia. Com isso, fundei a Feel the Future – d.lab, que usa todo o conhecimento desenvolvido durante o PhD adicionado com os anos de prática profissional em uma consultoria de design e inovação. O que era uma ideia, tornou-se uma tese de PhD e hoje é uma empresa.

DesignBrasil – Muitos designers brasileiros, depois da conclusão do mestrado no exterior, acabam ficando por lá. Por que sua opção de voltar ao Brasil?
Kleber Puchaski – Desde que retornei ao Brasil tenho dado diversas palestras em universidades e empresas e essa é uma pergunta constante. Sempre explico que houve diversos motivos para o retorno. Primeiro, para agradecer e prestar contas à comunidade por ter permitido que eu pudesse desenvolver minha pesquisa com tamanha liberdade. Afinal, fui bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) durante os quatro anos de pesquisa na Inglaterra. Uma vez que o investimento veio de um órgão público, as pessoas merecem essa prestação de contas. O retorno, neste caso, não é uma opção, mas uma obrigação moral com o país. Outro fator é que vivemos num mundo extremamente conectado, em que a presença física não é tão importante assim. Por isso, para me manter conectado, co-fundei o REACH – The Global Design Research Network que já está presente em 11 países (www.globaldesignresearch.com). A participação do Brasil nesse grupo é fundamental, uma vez que o posicionamento de nosso país é cada vez mais relevante para empresas globais. Nosso objetivo é atender empresas globais que querem entender culturas e mercados locais através da pesquisa em design.

DesignBrasil – Explique por que, na sua avaliação, hoje o Brasil é hoje um território fértil para a inovação?
Kleber Puchaski – Não se faz inovação apenas com alta tecnologia. A criatividade é elemento chave para a inovação, e isso o povo brasileiro tem de sobra. Some-se a isso o entendimento das empresas, e, principalmente, do Governo, em estar atento aos movimentos dos mercados internacionais e às demandas locais. Não podemos apenas ficar servindo de “celeiro” do mundo, exportando commodities. Temos condições de agregar valor e usar a combinação de criatividade e tecnologia no desenvolvido de produtos e serviços. Buscar investimento para inovação pode ser um entrave neste processo. Mas, para isso, existem várias agências de fomento de inovação nas quais as empresas podem buscar o apoio necessário para inovar tanto em apoio financeiro quanto de conhecimento. Por isso que insisto em afirmar que hoje o Brasil é um território fértil para a inovação.

DesignBrasil – Fale um pouco mais sobre o REACH. De que forma se dá esse atendimento a empresas globais no caso brasileiro? E como é sua atuação dentro desse grupo?
Kleber Puchaski – Feel the Future – d.lab é a empresa que é colaboradora do REACH para a América Latina. Nós atuamos dando suporte a empresas que querem entender melhor o mercado nacional quanto ao desenvolvimento de produtos e serviços para o mercado nacional. Da mesma forma que acionamos colaboradores de outros países no processo de empresas nacionais que queiram entender outros mercados, onde temos representantes. Fora isso, há um ambiente muito rico de troca de experiências e de melhores práticas para que estejamos alinhados com o que há de mais avançado no que diz respeito a tendências sócioculturais.

DesignBrasil – Antes de estudar no exterior, como era sua vida profissional. Que trabalhos você desenvolvia?
Kleber Puchaski – Tive uma carreira de designers bem eclética. Já trabalhei com design gráfico, embalagens, desenvolvimento de produtos, serviços, ambientes físicos e virtuais. Entre 2002 e 2003, trabalhei com gerenciamento de design para algumas instituições do mercado financeiro. De 1997 a 2002 trabalhei como designer no HSBC Bank, na equipe responsável pelo re-branding. Antes disso, fui designer da Racco Cosméticos no desenvolvimento de embalagens e materiais graficos. E na Fundação Cultural de Curitiba desenvolvia produtos para o Liceu de Artes.

DesignBrasil – E hoje, a que projetos você está se dedicando?
Kleber Puchaski – São vários projetos correndo simultaneamente: de mobilidade, acessibilidade, eletronicos e serviços financeiros. Mas nossa prioridade está sendo o projeto de uma sede para a Feel the Future – d.lab. Estamos preparando um espaço que servirá de plataforma para desenvolvermos os projetos com nossos clientes em um ambiente fantástico.

*O site de Kleber Puchaski é http://www.kleber-puchaski.com/ e ele disponibiliza seu e-mail para contato : [email protected]