Marta Almeida

Por Editor DesignBrasil

“O design garante que o espaço solucione as necessidades de apresentação do conceito da marca e dos produtos/serviços”

Um projeto de ambientes corporativos, como os stands, é arquitetura ou design? A resposta é design, diz a publicitária Marta Almeida, 45 anos, diretora executiva da Redesenho de Imagem, em entrevista ao portal DesignBrasil. “Acreditamos completamente que a aplicação de design em todas as ações de uma marca são fundamentais. Trabalhamos em cima de briefing do cliente. Nós nos envolvemos profundamente nas informações do cliente, aprendemos e conhecemos o conceito da marca e dos produtos. Então avaliamos as necessidades levantadas, e daí partimos para a solução de projeto”, explica.

A empresa de Porto Alegre já venceu diversos prêmios no setor. Entre eles, o de melhor design stand médio porte, num trabalho feito para a Grendene, numa instalação exposta durante a edição 2005 da feira da ABAD (Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores). Foi justamente para profissionalizar uma relação de serviços com a gigante calçadista gaúcha que o arquiteto Fernando Leonetti juntou-se a Marta Almeida para fundar a Redesenho de Imagem, no ano de 1994. Ambos têm desde 2001 a companhia do arquiteto Marcio Scotti.

A Redesenho de Imagem atende a clientes como Coza, Grendha Shoes Corporation, PUCRS, IPHAN, ESPM, entre outros. “Nossa atuação não se restringe a projetos efêmeros de stands, que já totalizam mais de 200 executados. Nesses 11 anos desenvolvemos também quiosques externos, quiosque internos, cenografias temáticas, vitrinismo, material de ponto-de-venda, arquitetura de lojas, arquitetura corporativa, exposições permanentes, show-room corporativo, sinalização interpretativa”, observa Marta.

“Nossa proposta é que o ambiente seja um suporte que reforce todas as qualidades da marca e produto, e não que polua sua exposição, ou se sobressaia”, explica.

Leia a entrevista completa concedida ao DesignBrasil.

 

DesignBrasil: O que é design de ambiências?

Marta Almeida: No ano passado fechamos um ano e meio de consultoria de gestão. Conversando com nossos consultores, eles perceberam nossa inquietação sobre a extensão do que estávamos propondo como prestação de serviços. Quando fazemos um trabalho para expor um produto/serviço, entendemos que ele precisa ter um entorno, e ambiente parecia muito vago. Procuramos na palavra ambiência, esta tradução mais focada, o espaço com eficiência, o que envolve totalmente a marca/produto/serviço. Talvez um pouco simples esta explicação, mas até agora nos parece que traduz o que fazemos em poucas palavras. Nosso nome, Redesenho de Imagem, veio da nossa insistência em relermos os ambientes, fazemos isso sem esforço algum, é só estar em um local. Partimos com a premissa de sermos uma empresa, que desenvolve design de ambiências, que visa a valorização do conceito da marca e produtos de nossos clientes. Definimos que não seríamos uma montadora de stands, e sim uma empresa que faz design.

 

DesignBrasil: Como surgiu o interesse ou oportunidade por criar uma empresa que desenvolve design de ambiências?

Marta Almeida: Em 1994, observamos que os espaços promocionais atendiam mais as necessidades arquitetônicas do que as promocionais. O produto sempre ficava em segundo plano. Éramos na época duas pessoas: um arquiteto e uma publicitária. E observamos que esta soma seria interessante. Realmente foi. Criamos um diferencial de design de ambiências, pelo foco na valorização do conceito e da marca e produto.

 

DesignBrasil: Que evolução a empresa teve ao longo de 10 anos de atuação?

Marta Almeida: O que percebemos é a facilidade maior em solucionar rapidamente, a partir do programa de necessidades de nossos clientes, o desenvolvimento dos projetos de design de ambiências, utilizando uma enorme gama de materiais e estratégias. E o resultado tem dado retorno financeiro positivo aos nossos clientes, garantindo um correto posicionamento de conceito da marca e de seus produtos no ambiente corporativo, nos eventos promocionais e no ponto-de-venda.

Nas fotos, um stand desenvolvido pela Redesenho de Imagem para a Coza durante a feira GiftFair 2005

 

DesignBrasil: Que evolução o mercado teve desde que vocês ingressaram, em 1994?

Marta Almeida: Uma grande evolução, pois em todos os setores o emprego efetivo do design melhorou muitos produtos, ambientes e relações de vivência. Muitas empresas se formaram neste período, acredito que por perceberem a enorme carência de design.

A entrevistada entre os sócios e arquitetos Marcio Scotti e Fernando Leonetti

 

DesignBrasil: Qual é o método de desenvolvimento de um projeto de ambiência?

Marta Almeida: Partimos sempre de informações. Somente com os dados do cliente e de seu produto/serviço compreendidos, começamos a desenvolver um projeto de design de ambiências. Entendemos que o que projetamos é o espaço conceitual em torno de sua exposição, pode ser o espaço corporativo da empresa, o stand, o quiosque, o expositor, vitrinismo, entre outros. Todos os projetos são extremamente detalhados, não poupamos desenhos e especificações. Acompanhamos toda a execução e implantação dos elementos que compõem a ambiência.

 

DesignBrasil: Você disse que a empresa inclui agora, nas suas competências, o desenvolvimento de produtos? Que tipo de produtos?

Marta Almeida: Estamos desenvolvendo uma série de produtos, como um exercício e uma possibilidade de ampliação de nossos serviços. São desde objetos de mesa até mobiliário com características especiais para nichos de mercado ainda pouco ou não atendidos, e peças desenhadas especialmente para aproveitamento de sucata industrial. Todos estes produtos estão sendo desenvolvidos pela nossa própria iniciativa. Para sua execução buscamos uma parceria com uma indústria, que fabrica materiais de ponto de venda em série. Além destes produtos “reais”, estamos também desenvolvendo alguns projetos de design de ambiências, que visam a implantação de espaços. Neste momento são três: o design do espaço de uma grande feira, trabalhando em cima do plano diretor da mesma; o desenvolvimento de um espaço itinerante corporativo e promocional de um Banco; o desenvolvimento de projetos para franquias. Percebemos uma possibilidade muito grande da aplicação do design nesses projetos, por isso estamos criando estas demandas.

 

DesignBrasil: Design de ambiência é design ou arquitetura? Por quê?

Marta Almeida: Acreditamos que seja design, que utiliza as ferramentas de arquitetura e publicidade. De uma maneira muito simplificada: a arquitetura gera o “ambiente”, o design a “ambiência”. O design garante que o espaço com suas necessidades de circulação, de funcionalidade solucione as necessidades de apresentação do conceito da marca e dos produtos/serviços.

Stand para a ESPM no festival de Publicidade de Gramado.

 

DesignBrasil: A equipe da empresa não inclui nenhum graduado em Design. As faculdades de design são capazes de preparar profissionais capacitados para trabalhar com design de ambiências?

Marta Almeida: A formação dos sócios é em publicidade e arquitetura. Quando nos formamos a única escola de design era de produto no Rio de Janeiro. As faculdades estão mais voltadas atualmente ao design gráfico e ao de produto, dificultando o desenvolvimento das etapas do projeto de ambiências. É uma discussão muito atual. Sou sócia da Apdesign, e muito já se conversou sobre. Pela nossa experiência, a visão profunda de espaço e de como solucionar sua construção é fundamental. A formação arquitetônica soluciona isso de maneira muito competente, mas é necessário um enfoque especial para aplicar o diferencial e conseguir a síntese espaço e conceito que transcende ao arquitetônico. Acredito que seja um desenvolvimento multidisciplinar.

 

DesignBrasil: Como foi o processo de desenvolvimento do stand da Grendene, que valeu à empresa um prêmio na ABAD 2005?

Marta Almeida: O processo de desenvolvimento de design de um stand deste porte, com 551 metros quadrados, envolve um programa de necessidades bem complexo. Totalizam três meses de trabalho, entre o briefing e sua implantação no pavilhão de exposições. Como partimos do produto, o projeto do stand visa a atender em toda sua concepção, a exposição do conceito da marca e produtos. Existe uma integração muito grande com o cliente, pois atendemos a Grendene há 11 anos, o trabalho tem um andamento muito harmônico.

Trabalhar com produtos que atendem tendências, como o segmento de calçados, é bastante difícil, pois existem necessidades de alteração para atender um novo produto em lançamento, ou o cancelamento de algum a ser exposto, por questões de mercado, durante o próprio desenvolvimento do projeto de design do stand ou da própria exposição de produtos. Mesmo o projeto sendo muito complexo, ele tem que ter flexibilidade para atender estas necessidades de atualização durante o processo de desenvolvimento.

O stand sempre precisa atender distintas necessidades como: recepção externa que controla a entrada, garantindo a qualidade do público visitante; o receptivo que precisa receber o cliente para um café, água; as áreas de apoio com copa, sala staff e depósitos; a área corporativa com salas de reunião; por fim a área de exposição de produtos. A exposição de produtos é sempre muito elaborada, existe a marca guarda-chuva que é Grendene, sob ela estão sete marcas, que agrupam diferentes produtos.

Cada produto tem seu conceito, às vezes assinadas por personalidades e com logos próprios. Todas estas informações que envolvem conceito precisam estar presentes. As coleções são expostas com a cartela de cores. Isso resulta em torno de 753 pés de calçados expostos. Toda esta exposição precisa estar integrada, para realmente o conceito individual de cada produto possa gerar uma soma positiva no conceito da marca maior. Para chegar a este resultado preciso, todo o desenvolvimento dos projetos de design, são minuciosos de detalhamento.

A execução do stand e da exposição de produtos é de nossa total responsabilidade. Pesquisamos materiais, sempre considerando o aspecto efêmero da exposição de produtos, pois precisamos ter um custo baixo de realização, e uma aparência perfeita. A montagem do stand é feita por uma montadora contratada, que segue a risca o projeto executando o nosso detalhamento.

A exposição de produtos (expositores, ambientações, etc.) são executados na própria sede da Redesenho de Imagem, que está instalada em um pavilhão com 300 metros quadrados de oficina e 120 metros quadrados de escritório. No projeto e produção estão envolvidas 18 profissionais, na implantação no pavilhão somente da exposição de produtos cotamos em torno de 23 pessoas (incluindo equipe de iluminação).

É realmente um trabalho complexo e que envolve mais de 50 fornecedores. Dito tudo isso, vale ressaltar que o emprego de design no pavilhão garante ao cliente um retorno financeiro, uma vez que seu posicionamento claro do conceito, impulsiona as vendas. É fato!

Fotos: Stand da Grendene na feira ABAD 2005