Nada substitui a visita à fábrica

Por Fabio Mestriner

Assim como já tive oportunidade de dizer e escrever muitas vezes que não existe design de embalagem de verdade sem estudo de campo nos estabelecimentos onde o produto será comercializado, uma coisa importante que aprendi ao longo de quatro décadas trabalhando com design é que é preciso visitar a fábrica onde o produto é gerado. Por mais óbvio que isso possa parecer, observei ao longo do tempo que a vista à fábrica é uma pratica não tão frequente quanto se imagina.

E porque a visita à fábrica é fundamental num projeto de design de embalagem?

Porque precisamos conhecer a linha de envase, o processo de fabricação e principalmente conhecer a gênese e saber mais sobre o produto que estamos desenhando.

Quando o designer conhece melhor o produto, não só o briefing do marketing, mas também as características específicas que só na fábrica podem ser observadas, o projeto melhora.

Tive oportunidade de visitar muitas fábricas e não perco uma oportunidade de visitá-las sempre que possível pois é incrível o que se aprende nestas visitas, seja para o projeto específico em que estamos trabalhando ou mesmo para a cultura geral que todos aqueles cuja atividade se relaciona com a produção industrial deve ter.

O designer de embalagem que gosta da indústria, gosta de visitar fábricas acaba adquirindo melhor qualificação para tornar verdadeira a expressão dos produtos que desenha. Isto porque a embalagem é ao mesmo tempo expressão e atributo do conteúdo. O consumidor, conforme revelou uma ampla pesquisa da Abre, não separa a embalagem de seu conteúdo. Para ele, a embalagem e o conteúdo constituem uma única entidade indivisível. Esta entidade precisa ter integridade e quem desenha precisa conhecer o melhor possível o produto que está desenhando para evitar um fenômeno tantas vezes observado nas gôndolas dos supermercados onde encontramos embalagens ” fakes “, que se parecem com aquelas casinhas cenografias do velho oeste que só tem a fachada sustentada por caibros que as fazem permanecer de pé.fig2

O design, como o entendemos, é o componente integrador do processo de produção de uma embalagem, sua contribuição vai além dos aspectos estéticos e artísticos do desenho, estendendo-se para os aspectos técnicos relacionados com a produção, desempenho na linha de envase, a logística e o marketing propriamente dito, uma vez que o produto na maioria das vezes terá apenas a embalagem como recurso que lhe permitirá competir lado a lado com seus concorrentes pela escolha dos consumidores. Isto sem falar no básico que é a produção da própria embalagem nas gráficas ou fabricantes de latas, vidros, plásticos, etc. Produção esta que precisa garantir através do desenho que a embalagem entregue pelo fabricante que a produziu se integre perfeitamente na linha de envase da empresa que vai utilizá-la para conduzir seu produto até as pessoas que vão utilizá-los.

O design é o componente integrador do processo porque num frasco de Shampoo por exemplo, frequentemente, a tampa foi produzida pelo processo de injeção numa fábrica, o frasco por sopro na outra e o rótulo numa terceira é tudo deve se ajustar perfeitamente na linha de envase.

Para que isso aconteça, três CDs com as respectivas artes destes componentes precisaram sair de um escritório ou agência de design para cada uma destas fábricas e são eles que fazem tudo se juntar lá na frente.

Portanto, recomendo a todos os designers que tiverem a oportunidade de visitar as fábricas de seus clientes que o façam sempre que possível pois a qualidade de seu trabalho vai se beneficiar extraordinariamente destas visitas.

1 Comentário

  1. Flávia Lopes disse:

    Achei espetacular o seu comentário. Sou engenheira de alimentos, trabalhei em fabrica por alguns anos e atualmente como P&D Embalagem e Produto. É fundamental conhecer processos e ter visão da cadeia como um todo para desenvolver um projeto completo e de qualidade. Parabéns