O Design chegou ao Poder!

Por Editor DesignBrasil

“O ano de 2008 pode ser considerado o maior ano da história para o design brasileiro”.

Literalmente o design chegou ao poder, quando em outubro de 2008, na inauguração da II Bienal de Design em Brasília, foi lido o discurso de Lula pelo vice-presidente José Alencar, colocando o design na agenda do governo, que juntamente com o desenvolvimento de marcas e inovação, constituem os três principais fatores que irão agregar valor à maioria dos produtos brasileiros.

Na mesma cerimônia, o empresário Jorge Gerdau, através do MBC (Movimento Brasil Competitivo), promotor desta Bienal e que liderou no país a implantação do movimento da Qualidade e Produtividade, deixando como herança a valiosa Fundação Nacional da Qualidade, anunciou a sua intenção de criar a co-irmã Fundação Nacional do Design, por entender que agora é chegada a hora do design cumprir o seu papel histórico em prol de nossa competitividade. Observação: o Sr. Gerdau é do setor de Siderurgia, que estrategicamente não tem muito a ver com o design. Se até ele entendeu o valor do design para o país, não é aceitável que os empresários e profissionais cujas empresas dependam mais diretamente, não enxerguem ainda o design como capital estratégico.

O ano de 2008 pode ser considerado o maior ano da história para o design brasileiro: em fevereiro foi lançado o prêmio Idea Brasil, capítulo do Idea USA, o mais importante premio norte-americano, promovido pelo IDSA (Industrial Design Society of América) e pela revista Business Week (aqui pelo Objeto Brasil e a revista Época Negócios) que na edição inaugural contou com mais de 350 inscrições e 80 ganhadores, impressionando a todos e colocando o design brasileiro na vitrine mundial.

Outro prêmio importante que ocorre no Brasil há mais de cinco anos e que teve em 2008 uma edição também de sucesso, o IF alemão, promovido ambos pela ApexBrasil. Em abril abriu-se também o capítulo brasileiro do Retail Design Institute, a maior associação de profissionais de arquitetura comercial do mundo. Em setembro, no MAM do Rio de Janeiro, realizou-se o maior evento da história do design, a Brazil Design Week, promovida pela Abedesign (Associação Brasileira de Empresas de Design) com apôio da ApexBrasil, que em convênio com a Abedesign planeja abrir um showroom de agências brasileiras de design em Nova York.

Fruto deste encontro, nasceu o Fórum Brasileiro de Design, uma espécie de federação para a articulação das forças organizadas do design: escolas, empresas e instituições. Foi publicado também pela Abedesign/ApexBrasil o Brazilian Design Profile, distribuídos em feiras de negócios e embaixadas brasileiras. Como já citado, em outubro ocorreu a II Bienal de Design em Brasília, evento relevante na promoção de nosso design. Em novembro a cidade de São Paulo comemorou a semana do design através do Viver Design. O importante jornal brasileiro de marketing Meio&Mensagem lançou o Wave Festival in Rio, com um importante espaço para o design, bem como o consagrado Festival de Cannes, tradicionalmente dedicado à publicidade e à multimídia, incluiu pela primeira vez um capítulo dedicado ao design. Muitas outras iniciativas ocorreram em todo país através das universidades, Senai, Senac, Sebrae, Federação da Indústrias e Centros de Design. Ufa!

O Brasil está chegando à marca de 400 cursos de design, com cerca de 48.000 alunos no ano passado.

O século XXI está sendo considerado o século do design. Muitos consideram o design a nova “alma” do negócio.

A boa notícia é que o design cresce de importância no país e nasce uma área de excelência onde a nossa criatividade e a competência são uma nova fonte de criação de riqueza.

Tags: