O futuro na palma da mão

Por Christian Ullmann

Há mais de vinte anos lemos e escutamos que o design industrial é essencialmente design de interfaces, e un dos primeiros a afirmar isto foi o teórico Gui Bonsiepe. Hoje isto é evidente na interação entre usuário e produto, onde o avanço tecnológico nos surpreende mês a mês e possibilita novas soluções nas quais as interfaces facilitam a desmaterialização.

Muitas vezes a ciência e ficção ajudam para acelerar este processo, por exemplo:

Quanto tempo, você acha, que falta para que tenhamos interfaces gestuais holográficas como as de Tom Cruise, em Minority Report – um filme que já tem mais de 10 anos?

 

 

Pesquisando na internet para escrever esta matéria, vi no blog mundobit da UOL que o software por trás do filme Minority Report, em que Tom Cruise navega por uma enorme tela movimentando apenas as mãos, pode chegar ao mundo real. A interface desenvolvida pelo cientista John Underkoffler quando ainda era um cientista do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT) foi comercializada pela companhia Oblong Industries como uma maneira de filtrar grandes quantidades de vídeos e outros tipos de informações.

 

Da Wikipédia pegamos a seguinte definição: o objetivo do design de interface de usuário é tornar a interação do usuário o mais simples e eficiente possível, em termos de realização dos objetivos do usuário – o que normalmente é chamado de design centrado no usuário. Um bom design de interface facilita a conclusão da tarefa manualmente sem chamar atenção desnecessária para si.

 

O design de interface está envolvido em uma série ampla de projetos de sistemas de computador, para carros, e aviação comercial; todos esses projetos envolvem muitos das mesmas interações humanas básicas, mas também exigem algumas habilidades e conhecimentos únicos. Como um resultado, os designers tendem a se especializar em determinados tipos de projetos e possuir habilidades centradas em torno de suas experiências, quer seja design de software, a pesquisa de usuário, design web ou design industrial.

 

 

OmniTouch é um sistema de detecção de profundidade e projecção portátil que permite que aplicativos interactivos multitouch (multitoque) em superfícies comuns. O sistema permite que o usuário use suas mãos, braços e pernas como superfícies gráficas interactivas. Os usuários também podem utilizar superfícies do ambiente para expandir a área interativa (por exemplo, livros, paredes, mesas).

 

 

Esta realidade hoje centralizada na tecnologia da informação e entretenimento vai se ampliar para outros setores, e nós, designers, temos que ficar bem atentos ao desenvolvimento de estruturas e sistemas para facilitar a interação entre usuário e produto.

 

Fontes:

http://blogs.ne10.uol.com.br/mundobit/2012/07/24/tecnologia-de-minority-report-pode-chegar-ao-mundo-real/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Design_de_interface_de_usu%C3%A1rio

http://txchnologist.com/post/32350969564/beyond-touch-whats-next-for-computer-interfaces

Tags: