O impacto do design na estratégia de longo prazo

Por Fabio Mestriner

Fabio Mestriner é professor de design da ESPM, presidente da ABRE -Associação Brasileira de Embalagem – e dirige a Packing Design.

O mercado do design já é uma realidade no Brasil. Centenas de profissionais e empresas disputam todos os dias os milhares de projetos que precisam ser desenhados pelas empresas espalhadas pelo território nacional.

Comprar serviços de design vem deixando de ser um bicho de sete cabeças e cada vez mais empresas estão descobrindo os benefícios do bom design e a diferença que ele faz na performance de seus produtos, na imagem de suas marcas e no aumento de seu faturamento.

Mas, a escolha do profissional ou da empresa que vai executar o serviço ainda representa um desafio, pois os critérios são muito elásticos envolvendo conceitos objetivos e outros nem tanto…

Comparar as opções disponíveis e selecionar uma delas não é uma tarefa fácil, principalmente porque a maioria das empresas que hoje contrata estes serviços não dispõe de um profissional qualificado em gestão do design para proceder à contratação.

Por outro lado, os profissionais e empresas de design também têm suas deficiências e muitas vezes acabam mais confundindo que esclarecendo os interessados em contratar seus serviços.

Propostas muito superficiais e genéricas que não deixam claro o que está sendo comprado e quais compromissos e responsabilidades estão envolvidos ou aquelas excessivamente complicadas que acabam levantando dúvidas e cautelas por parte dos contratantes são algumas das dificuldades que afetam a relação cliente/designers.

Muitas empresas contratantes por seu lado acabam desenvolvendo concorrências predatórias que exigem que os concorrentes apresentem propostas de design sem remuneração alguma com a promessa de contratação daquela proposta que for escolhida e que no fim será contemplada com um contrato e remuneração enquanto que as demais terão trabalhado e investido no projeto sem nada receber em troca.Esta prática prejudicae enfraqueceas empresas de design que aceitam participar dela.

Outro problema que afeta a relação é a contratação de serviços de design baseada exclusivamente no preço mais baixo oferecido pelos concorrentes.

As questões anteriores a essa, têm sido objeto do trabalho de entidades como a ADG que publicou um manual orientativo sobre o valor do design e o Comitê de Design da ABRE, que publicou uma cartilha sobre contratação de serviços de design.

Iniciativas desta natureza ajudam a minimizar os problemas e ajudam a construir entendimento e melhores relações cliente/designer, mas a questão de preço mais baixo como critério de seleção esbarra no ponto que é o objeto deste artigo, ou seja, o impacto do design na estratégia de longo prazo.

É preciso que o mercado seja esclarecido pelos designers que um bom design repercute por muitos anos e tem seus efeitos positivos repetidos centenas, milhares ou milhões de vezes dependendo da tiragem do produto.

A diferença entre um bom design e um design regular muitas vezes é soma de apenas um dígito no custo do projeto. A economia que será feita representará uma única parcela obtida no momento da negociação, mas seus efeitos se repetirão a cada mês nas receitas obtidas pelo produto enquanto o design não for substituído.

É comum acontecer de um bom design de embalagem impactar positivamente as vendas do produto sobretudo porque se sabe que no caso da embalagem, o bom design desencadeia uma seqüência de impulsos positivos que têm repercussão no desempenho geral do produto.

A conquista de meio ponto de participação do mercado, dependendo da categoria onde o produto compete, pode representar dezenas de milhões de reais. Mesmo um pequeno aumento nas vendas provocado pelo novo design já representa num único mês muito mais do que pode ser economizado numa concorrência entre empresas e designers.

O design tem impacto positivo agregando valor e melhorando a competitividade dos produtos. Seus efeitos são de longo prazo e precisamos difundir o conceito de que a diferença na escolha entre um serviço regular e um de melhor qualidade pode resultar numa enorme diferença de receita para a empresa contratante.

Hoje, os profissionais de marketing e os especialistas do varejo concordam que a melhor coisa que pode acontecer a um produto é ter um bom e se possível um ótimo design. As empresas conscientes disso devem aprender a fazer contas. Elas vão descobrir que estratégias de longo prazo aplicadas ao design são além de excelente negócio, um fator decisivo no novo cenário competitivo.

Tags: