O novo velho negócio

Por Christian Ullmann

Há quase dois meses, surge a partir do informativo do ICSID uma matéria divulgando o vídeo “Design the New Business”, e devemos concordar que, no mercado atual, o design é a chave para novos e futuros negócios. O documentário aborda novas formas de resolver os atuais e reais problemas complexos que o mundo empresarial está enfrentando – o novo relacionamento de empresários, consultores e academia unindo esforços para saber como enfrentar os próximos desafios da sociedade, apresentados em casos de estudo e discussões inspiradoras. A iniciativa do filme é da Zilver Innovation, e foi desenvolvido por seis estudantes do Mestrado de Strategic Product Design na TU Delft situada na Holanda. A íntegra legendada em português está disponível neste link: http://vimeo.com/33531612

No entanto, que custo estamos dispostos a pagar por tudo isto? Não sei se vocês repararam, porém quase todos os computadores que apareceram no vídeo são Apple, e é a empresa Apple quem melhor conecta os desejos das pessoas com os seus produtos – mas também temos que ser conscientes de que isto tem seu preço, e parte do custo vamos descobrindo a conta-gotas e somente quando as empresas deixam descoberta parte de seus modelos de negócios.

Então descobrimos que de ‘novo’, os modelos de negócios não têm muito, e mais se assemelham aos históricos modelos de desrespeito às pessoas e à sociedade – não sei quanto posso afirmar isto, porém sempre surge um comentário, vídeo ou matéria o confirmando, o que é difícil de acreditar; e nós não queríamos nem suspeitar de empresas conceituadas e que seguimos como fiéis admiradores (eu me incluo nesta lista também).

Estou comentando isto porque, também poucos meses atrás, apareceu uma matéria na internet da rede americana de televisão ABC, em que se apresentava a realidade de uma fábrica da Foxcomm, fabricante de iPads e iPhones para a Apple na China, e como são tratados seus funcionários, as cobranças do governo chinês e de ongs para melhorar a qualidade do trabalho feito por eles. Do UOL Notícias: o jornalista Bill Weir, da rede americana de televisão ABC, teve acesso exclusivo à empresa chinesa administrada pela Foxconn, uma das maiores fornecedoras da gigante do mundo da informática Apple: os trabalhadores são obrigados a morar em dormitórios com outras sete pessoas, e fazem exatamente a mesma função na fábrica seis dias por semana. Veja o vídeo da reportagem neste link.

Para quem acha ainda que a China está muito longe, olhem esta matéria da Isto é Dinheiro: “o polêmico taiwanês que vai produzir iPads no Brasil: conheça os planos de Terry Gou, o poderoso CEO da Foxconn, maior fabricante de eletrônicos do mundo, que investirá R$ 20 bilhões no País”.

Na era da sustentabilidade e sendo designer:
Como posso desconsiderar o processo produtivo de uma nova tecnologia?
Como premiar um produto que tem este antecedente? 

E a partir do portal DesignBrasil, das redes sociais ou de onde seja possível, temos que discutir esta nova forma de fazer negócios, na qual aos poucos descobrimos que só uns poucos ganham. Tendo possibilidade de conhecer as diferentes partes, torna-se mais fácil poder avaliar e escolher que tipo de modelo de negócios – novo modelo de negócios – queremos para nosso futuro. E mais uma vez, nossa decisão pode colaborar para a melhoria de qualidade da sociedade.