Os significados do luxo

Por Katia Faggiani

“Dou início a esta coluna com uma breve explicação dos significados e conceitos do luxo em nossa sociedade”.

Entender o significado das palavras é muito importante. A mesma palavra pode ganhar significados diferentes ao longo dos tempos de acordo com o pensamento e o contexto de cada período. Assim, darei início a esta coluna com uma breve explicação dos significados e conceitos do luxo em nossa sociedade.

Lipovetsky destaca que não há sociedade que rejeite o luxo. “A antropologia mostra que o luxo já existe desde o neolítico”. Antes mesmo de desenvolver as artes da civilização, o homem já usufruía o luxo.

“Ao invés de pensar na escassez de caça, o homem se dedicava a fazer adornos e festas grandiosas sem preocupação com o desperdício. Nessa época não havia ainda esplendor material, mas o impulso de gastar tudo com o gozo presente sem se preocupar com as conseqüências futuras revela uma mentalidade de luxo anterior à criação de objetos luxuosos” (Lipovetsky, 2004).

Berry (1994) afirma que o conceito de luxo é determinado dentro de uma sociedade estabelecida, em um lugar e momento específico, ou seja, o luxo está totalmente relacionado à cultura. Bourdieu e Appadurai também apresentam um conceito com realce da dimensão social onde o gosto não é estabelecido por um indivíduo apenas, mas principalmente pelo meio social e cultural onde o mesmo vive.

Etimologicamente, “luxo” é originário da palavra “luxus”, em latim, que significa “bundância, refinamento” De acordo com Castarède (2005) posteriormente e erroneamente, tentou-se aproximá-lo de dois termos parecidos: lux (luz) e luxuria (luxúria), o primeiro fazendo referência à luz e diz respeito à luminosidade, brilho, esplendor e, o segundo, faz relação a um gosto esplendoroso pela ostentação e o prazer ou a vaidade.

Segundo o sociólogo Domenico de Masi (2000), na sociedade industrial “os ricos exibiam a própria opulência, sobretudo para surpreender, intimidar e reforçar o poder que tinham e a insuperável distância que os separava da massa”.

Sob aspectos impalpáveis, o luxo se associa a um signo e símbolo, a um código, comportamento, comodidade, conforto, a valores éticos e estéticos, ao reconhecimento, ao prazer e à satisfação e requinte. O luxo também se envolve com o raro, com a restrição, o exclusivo e, por isso, o alto custo. Por estar associado à qualidade, diferença, raridade, satisfação pessoal, reconhecimento, à preferência, ao desejo, ao inatingível, pode-se dizer que o luxo é uma diferenciação com custo mais elevado (Shermach, 1997; Castarède, 2005).

Outra palavra importante para o entendimento do significado de luxo é a “tradição”. Isso significa saber manter raízes, origens, estilos, autorias, a preservação das memórias, valorização do passado, reconhecimento, a preservação das tradições históricas e herança dos ancestrais e, portanto, valorizar o tradicional.

Assim, hoje, para muitos, luxo ainda está associado à suntuosidade, à pompa, à extravagância, magnificência, ao supérfluo, à frivolidade, à aparência, ao poder material, porém nota-se que progressivamente este conceito tem se modificado. De acordo com Lipovetsky (2004), o luxo é tradicionalmente visto como algo inacessível, mas essa é só uma das suas facetas.

Tags: