Outubro: mês do consumo sustentável

Por Christian Ullmann

O melhor instrumento para promover a mudança nos padrões de consumo é a comunicação, não bastam as discussões em nível governamental, nacionais e internacionais, e a movimentação da academia e do setor produtivo se a sociedade como um todo não estiver informada e sensibilizada para a importância desta transição.

Com esta premissa, a Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do Ministério do Meio Ambiente desenvolveu o Plano Nacional de Produção e Consumo Sustentáveis, que inclui o ecodesign. Sua divulgação é através de campanhas anuais voltadas para a mudança nos padrões de consumo da sociedade brasileira, alertando para o impacto que ações cotidianas têm no meio ambiente e em nosso futuro.

O consumidor consciente precisa encontrar no mercado produtos de menor impacto ambiental. Por sua vez, o mercado precisa ser incentivado a oferecer estes produtos. O ciclo de produção e consumo sustentável se percebe aí: é preciso estabelecer uma nova economia onde fazer escolhas sustentáveis e vender produtos sustentáveis seja um bom negócio.

O que vemos no Brasil e no mundo hoje é uma sociedade atenta e preocupada com os rumos que tomamos e seu reflexo no planeta. Vivemos um momento histórico em que termos como “sustentabilidade” e “mudanças de padrões de consumo” não estão mais restritas aos círculos acadêmicos. É o momento certo para comunicar e informar como cada cidadão brasileiro pode fazer a diferença.

Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis – DPCSO Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis – DPCS surge para atender à agenda positiva proposta pelo Ministério do Meio Ambiente de estímulo a novas formas de produzir e consumir com responsabilidade social e ambiental.

Em um cenário de crescimento econômico e ascensão de mais da metade dos cidadãos brasileiros à classe média, o Brasil se depara com a oportunidade histórica de delinear um novo padrão de desenvolvimento. Os padrões de consumo observados nos países de primeira industrialização mostraram-se predatórios e insustentáveis, avançando sobre os recursos naturais em seu território e fora dele. O estímulo ao consumo excessivo e a pouca preocupação em ofertar tecnologias e produtos menos nocivos ao meio ambiente agravaram problemas globais, como as mudanças climáticas, a poluição dos oceanos e a geração de lixo.

O Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis – DPCS, integrante da Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental – SAIC, propõe-se a construir este novo modelo com a sociedade brasileira, envolvendo todos os setores na promoção de padrões de produção e consumo mais sustentáveis. As ferramentas utilizadas serão o diálogo e a parceria, e as estratégias serão a implementação do Plano Nacional de Produção e Consumo Sustentáveis – PPCS e a realização de campanhas de conscientização do consumidor.

Plano Nacional de Produção e Consumo Sustentáveis – PPCSO Plano Nacional de Produção e Consumo Sustentáveis – PPCS – é o documento “vertebrador” das ações de governo, do setor produtivo e da sociedade que direcionam o Brasil para padrões mais sustentáveis de produção e consumo.

O Plano articula as principais políticas ambientais e de desenvolvimento do País, em especial as Políticas Nacionais de Mudança do Clima e de Resíduos Sólidos e o plano Brasil Maior, auxiliando no alcance de suas metas por meio de práticas produtivas sustentáveis e da adesão do consumidor a este movimento.

O PPCS é um plano dinâmico, vivo, e que deve ser apropriado pela sociedade em geral. Sua implementação será progressiva, refletindo os avanços em outras políticas públicas e o amadurecimento da sociedade brasileira.

A Economia Verde, segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), é o modelo que trará maior bem-estar e equidade social, enquanto reduz significativamente os riscos ambientais e a escassez de recursos naturais. O debate mundial sobre Economia Verde está refletido no Plano Nacional de Produção e Consumo Sustentáveis, que se torna um instrumento da transição para este novo modelo.

Para orientar sua implementação, o PPCS contempla uma série de ações com enfoque participativo e de comunicação. Assim, todos têm a oportunidade de se engajar nesse processo como agentes de transformação, seja fortalecendo e conferindo escala às ações em curso, ou desenvolvendo novas iniciativas voltadas à produção mais limpa e o consumo sustentável. Utilizar lideranças como exemplo para estimular a replicação e ganho de escala que afete a cadeia produtiva como um todo também é parte da estratégia.

Em seu primeiro ciclo, de 2012 a 2014, o PPCS focará seus esforços em seis áreas principais:

Educação para o Consumo SustentávelVarejo e Consumo SustentávelAumento da reciclagemCompras Públicas SustentáveisConstruções SustentáveisAgenda Ambiental na Administração Pública – A3P

Conheça mais no site www.mma.gov.br/consumosustentavel.