Retail Design e experiência de compra

Por Editor DesignBrasil

**Alessandra Franco de Grada

Definir onde começa a experiência de uma marca para mim pode ser explicada no seu ponto de venda. É ali que tudo se comunica: chão, paredes, iluminação, produto, comunicação visual, perfumes, equipe de vendas, todos esses elementos precisam ser compreendidos por quem está envolvido na construção de um espaço comercial. Caso eles tenham sinergia com o DNA de uma marca (e acima de tudo o consumidor entenda esse valor), ganha todo o elo da cadeia! Arquitetos porque muitas vezes o seu projeto torna-se um ícone de uma cidade e ponto de referência, e do outro lado, a indústria/varejo, que se fez compreender para o seu consumidor, ganhando aumento de share-of-mind! A arte de um ponto de venda conseguir mostrar o seu DNA, proporcionando uma boa experiência de compra é o que eu chamo de Retail Design.

Todo esse trabalho envolve muita comunicação entre os profissionais envolvidos e qualquer ruído ou mensagem atrapalha o resultado final. É importante também que o espaço seja renovado de tempos em tempos para não se tornar obsoleto, afinal o consumidor também se renova. E para mim isso realmente é muito importante, uma vez que muitas marcas consideram a inovação de um ponto de venda como uma forma de se diferenciar e se posicionar no mercado. Esse foi um dos diferenciais que muitas marcas de moda foram pioneiras e que muitas outras de outros segmentos pegam carona. O mundo da moda fascina tanto por chegar primeiro, por fazer o seu consumidor se diferenciar… Cada coleção de produtos dura poucos meses e, muitas vezes a loja muda junto com essa coleção! A Galeria Melissa, por exemplo, não apenas troca a coleção de seus produtos como também troca a sua loja! Fachada, vitrine, jardim externo, tudo é modificado!

Proporcionar uma boa experiência de compra também se expande para outros segmentos. O recente Eataly em São Paulo é uma prova disso: a loja reflete vários pontos que são economicamente muito importantes na Itália, que representa o DNA do país: gastronomia, design, valorização à produção artesanal e de luxo! A marca pegou todos esses ingredientes, ícones do país, misturou tudo num caldeirão e mostrou uma marca que tão bem representa também o seu país!

O Retail design vem ganhando cada vez mais importância no Brasil: é uma forma da marca se diferenciar no mercado, de mostrar os seus valores e o seu propósito! O resultado disso é benéfico para todo o elo da cadeia: para profissionais do ramo que conseguem mostrar trabalhos diferenciados, para a indústria/varejo que consegue mostrar a sua identidade e para o consumidor final, que consegue ter uma boa experiência de compra!

O Lá da Venda, é uma loja e um bistrô e no seu site, se considera uma a ode ao viver bem, de maneira simples e sustentável. .O conceito do Lá da Venda não é ser apenas uma loja de artesanato, mas, sim um lugar que vende peças feitas de forma artesanal e muitas vezes únicas. São centenas de itens diferentes, todos preparados com matéria prima de qualidade, vários deles 100% orgânicos e sustentáveis pela chef Heloisa Bacelar, uma mestre da culinária brasileira.

lá na venda

**Alessandra Franco de Grada é brasileira e atua nas áreas de marketing, visual merchandisign, gerência de produto e brand management.