Sustentabilidade no dia-a-dia

Por Christian Ullmann

Ao ter consciência dos impactos na hora de escolher – o que comprar, de quem comprar, como usar e como descartar o que não serve mais – o consumidor pode buscar maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos.

Todo ato de consumo é um ato de poder, pois impacta a sociedade e o meio ambiente. Ao usar positivamente este poder, o consumidor consciente torna-se um agente transformador do coletivo. Esta afirmação do Instituto AKATU nos serve para assumir o nosso compromisso e a responsabilidade pelas nossas escolhas. Todo consumo causa impacto (positivo ou negativo) em cada um de nós, na economia, nas relações sociais e na natureza. Ao ter consciência dos impactos na hora de escolher – o que comprar, de quem comprar, como usar e como descartar o que não serve mais – o consumidor pode buscar maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos. Desta forma, o poder de compra contribui para construir um modelo mais adequado ao momento que estamos vivendo.

O consumo consciente maximiza as conseqüências positivas, e esta é uma contribuição voluntária e solidária, que pode ser praticada todos os dias, por meio de gestos simples. No ano 2006, o Instituto AKATU realizou uma pesquisa que revelou que um de cada três brasileiros percebe os impactos sócio-ambientais de suas ações de consumo e se declara predisposto a dar preferências por produtos mais sustentáveis. O primeiro passo já foi dado estar consciente o segundo passo é tomar a atitude de exercer nosso poder de compra.

O consumo das diferentes classes sociais – o consumo do nosso dia-a-dia – tem que ser adequado ao nosso entorno natural e realidade sócio-cultural. Isto significa que tem que ser justo, eqüitativo, solidário e responsável. Ser responsável é assumir uma postura e atitude diferente no nosso padrão de consumo.

Hoje, a compra consciente ficou mais fácil, pois diferentes ONGs e institutos desenvolveram e disponibilizaram guias de compra que ajudam aos consumidores nas suas escolhas.

No site do Instituto AKATU (www.akatu.org.br) encontramos o Centro de Referencia AKATU pelo Consumo Consciente, que nos oferece várias ferramentas para avaliar de forma simples nosso perfil de consumidor e nos orienta para melhorar, entre elas o Teste do Consumo Consciente e a Guia de empresas e produtos.

O Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) também desenvolveu uma ferramenta de poder para os cidadãos e aos consumidores institucionais preocupados com a pegada ecológica e social de seus hábitos de consumo. O Catálogo de Produtos e Serviços Sustentáveis (www.catalogosustentavel.com.br) é outra guia para empresas e governos que pretendem implementar políticas de compras e contratações sustentáveis. Além de estimular maior responsabilidade das instituições no uso de seu poder de compra, o catálogo ajuda os consumidores e a sociedade a repensarem seus padrões de consumo exercício fundamental diante do ritmo com que a humanidade impacta os recursos naturais.

A ONG FSC Brasil também lançou sua guia, Páginas Verdes, onde apresenta 206 empresas certificadas com o selo FSC. A publicação pretende promover as empresas e empreendimentos comunitários que exercem sua atividade de forma responsável para que o consumidor final possa valorizá-lo nas suas escolhas de compra. Este guia de compras amplia o conhecimento de profissionais e de consumidores que buscam informações sobre produtos madeireiros e não madeireiros certificados e seus derivados que possuem selo FSC. A publicação de 80 páginas traz informações sobre a importância do manejo sustentável e o funcionamento do processo de certificação florestal. (tel. 61 32487274 – [email protected]www.fsc.org.br).

Também o FSC Brasil, em parceria com o FSC da Alemanha, Austrália e Dinamarca, acaba de lançar um banco de dados online (www.brasil.fsc-products.org) que permite a busca por produtos certificados FSC no mundo todo.

Informações técnicas obtidas dos sites: www.akatu.org.br, www.catalogosustentavel.com.br e www.fsc.org.

Tags: