Abrigos para refugiados têm o melhor design do ano

Fonte Diário de Notícias

O abrigo para refugiados desenvolvido pela Fundação IKEA e pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados ganhou o prêmio de melhor design de 2016 e melhor design de arquitetura, atribuídos pelo museu do design Beazley, em Londres.

Num ano uma vez mais tragicamente marcado pela crise dos refugiados – com as Nações Unidos a estimar em 67 milhões as pessoas que se encontram refugiadas ou que requerem asilo -, estes abrigos já chegaram a milhares de pessoas. Desenvolvido em 2015 na Suíça, o Better Shelter (Melhor Abrigo, em tradução literal) tinha por objetivo provar que o design sustentável poderia fazer a diferença na ajuda humanitária e ser a casa de quem está fora de casa na sequência de conflitos ou desastres naturais.

O abrigo é muito parecido com uma casa, mas é amovível (que se pode movimentar ou deslocar), feita de material resistente, tem energia solar, ventilação, chão, portas e janelas, é resistente ao fogo e tem capacidade para cinco pessoas.

De acordo com o site oficial do produto bastam quatro pessoas e entre quatro e oito horas para montar o abrigo, com 17 metros quadrados. Pesa 169 quilos, mas vem em duas caixas, com todas as peças e ferramentas necessárias à instalação.

Entre os 70 projetos nomeados para os prémios de design do museu Beazley – os quais estão patentes no Museu do Design de Londres até 19 de fevereiro – o Better Shelter foi aquele que melhor correspondeu aos critérios para encontrar o vencedor: promover a mudança, captar o espírito do ano, melhorar as acessibilidades e ter um design inovador. O abrigo venceu na categoria de arquitetura e no prémio geral.

Entre os nomeados para estes prêmios encontravam-se um livro bebível, capaz de purificar a água e assim reduzir doenças, tênis feitos com plástico retirado dos oceanos, um capacete para bicicleta com iluminação própria ou um sistema para avaliar os edifícios ao nível da segurança.

ikea1 ikea2

Veja também