Pocket House

A Pocket House foi um dos projetos brasileiros premiados na disciplina Arquitetura e Interiores do iF DESIGN AWARD 2015.

Criado pelo escritório Cristina Menezes Arquitetura e Decoração, a ideia do projeto surgiu após algumas viagens da arquiteta Cristina ao Japão e Chicago, onde conheceu muitos cases de pequenas moradias. Diante às tendências do mercado nacional que apontam um crescimento no interesse por moradias pequenas, com conceitos de sustentabilidade e mobilidade, a ideia da Pocket House esperava somente a grande chance de concretizá-la.

Foi então que surgiu um cliente interessado. As inspirações, de acordo com a arquiteta, vieram também do cliente. “É na sua cultura, no seu estilo de vida e nas suas necessidades que me inspiro. A ideia de usar um container como base, surgiu com a dúvida que o cliente tinha: ele queria uma casa pequena para fins de semana, mas ele não sabia se iria construir em um condomínio, nos arredores de Belo Horizonte, ou se ele fazia num terreno que ele tinha comprado na praia”, conta Cristina.

Então surgiu a ideia de usar um container, assim o cliente poderia levar sua casa para onde quiser. O processo da concepção, da criação e apresentação, durou 60 dias. A arquiteta pesquisou e estudou o processo de construção e montagem para fazer a melhor proposta. Deste projeto participaram três arquitetas, estudantes de arquitetura, um engenheiro mecânico, um engenheiro civil e uma equipe de serralheria e marcenaria. “ Fiz também um detalhamento construtivo que nos possibilitou garantir que, na hora de transportar o container, toda a sua estrutura e seus revestimentos fossem preservados.

Os problemas foram resolvidos, na fase de projeto, com todos os envolvidos se responsabilizando por suas respectivas áreas e estudando todos os pontos que poderiam ter problemas. A casa se diferencia das demais porque ela é exclusiva. “Suas pequenas dimensões e a sua mobilidade direcionaram toda a sua concepção! É muito diferente você criar em um lote onde tem liberdade na forma e, é outro assunto, você criar uma casa em uma “caixa” já pronta e que será transportada!

O investimento da Pocket House foi de R$ 65 mil entre container, transporte, obras civis, elétricas, hidráulicas, serralheria, marcenaria, vidros e revestimentos, sem o mobiliário e acessórios.

A Pocket House recebeu alguns prêmios internacionais em 2014, porém o reconhecimento do iF surpreendeu a arquiteta. “Fiquei impressionada com a repercussão. Tive a oportunidade de participar do evento da premiação, em Munique, e pude sentir a importância e grandeza desta premiação. Realmente, me sinto muito honrada por ter a Pocket House reconhecida nesta premiação tão tradicional, importante e que tem os maiores nomes da área de Design Mundial competindo.  Ter  o Selo de Excelência de Qualidade de Design é o máximo para qualquer profissional da área”, comemora Cristina.

_DSC4501 menor